Pub

Abertura_lausperene_2014 (5)
© Samuel Mendonça

O bispo do Algarve disse no sábado, dia em que a Igreja católica assinalou a celebração de Todos os Santos, que “Deus dá a cada um o que cada um precisa para ser santo”.

“Deus quer que todos sejamos santos. Ser santo é vocação de todos, não é privilégio de alguns”, insistiu D. Manuel Quintas na homilia da missa de abertura do Lausperene diocesano, a que presidiu na igreja paroquial de São Luís, em Faro.

O prelado lembrou que a santidade é “vocação de cada um” desde o batismo e disse que a “qualidade” pode suprir a pouca “quantidade”. “Se formos mais santos, a qualidade da nossa fé, da nossa esperança e da nossa caridade suprirá a falta de quantidade”, defendeu, lembrando que a santidade será “apelo e interpelação” a que outros possam disponibilizar-se para servir as paróquias e a Igreja diocesana.

“Para sermos santos temos de beber desta santidade de Deus. E esta «bebida» o que é? É o amor de Deus que Jesus nos mostrou. É o amor de Deus, acolhido no nosso coração e vivido na nossa vida, que nos faz santos”, reforçou, lembrando serem os sacramentos que fazem aumentar esse amor.

D. Manuel Quintas pediu ainda aos católicos que possam “progredir no caminho da santidade”, fazendo com que esse amor se transforme em “obras, gestos e atitudes” porque “a santidade mede-se na vida do dia a dia”.

O bispo diocesano lembrou ainda os santos “algarvios”, enumerados no programa pastoral da Igreja algarvia para o presente ano 2014/2015. Recorde-se que a Diocese do Algarve está a viver um ano pastoral cujo programa exorta à santidade.

Pub