Breves
Inicio | DA | Bispo do Algarve visitou as paróquias do concelho de Monchique

Bispo do Algarve visitou as paróquias do concelho de Monchique

© Lúcia Costa
© Lúcia Costa

O bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, esteve em visita pastoral ao concelho de Monchique de 23 a 30 de março.

Durante esta semana visitou a escola, o lar de idosos, dedicou-se aos doentes, deslocou-se para celebrações às diversas paróquias, ouviu as catequeses e reuniu com os leigos que compõem as diversas pastorais.

Apesar da visita terminar no domingo, dia 30, em Alferce, no sábado, D. Manuel Quintas despediu-se da paróquia de Monchique, com a administração do sacramento do Crisma a 17 jovens e 2 adultos, interpelando a comunidade para que «não se intimide» porque «não é proibido indicar o caminho da verdadeira vida e da verdadeira felicidade» àqueles «que andam à procura da luz».

Enalteceu ainda a alegria que sentia por estar naquela paróquia intitulando-a de «viveiro de vocações» e agradeceu pelo que recebeu durante a semana.

© Lúcia Costa
© Lúcia Costa

Por fim, fez um apelo aos jovens, especialmente aos recém-crismados, para que não tenham medo da «escolha que Deus faz de cada um», alertando que «não nos podemos cansar de rezar, de pedir mais vocações».

© Lúcia Costa
© Lúcia Costa

O último dia em Monchique foi o culminar de oito semanas de visitas pastorais realizadas por D. Manuel Quintas aos concelhos de Lagoa, Portimão e Monchique. Neste ano pastoral de 2013/2014, o prelado realizou sete visitas pastorais às paróquias de Estômbar e aos vicariatos da Mexilhoeira da Carregação e do Parchal (20 a 27 de outubro), à paróquia de Ferragudo (3 a 10 de novembro), às paróquias da cidade de Portimão (30 de novembro a 15 de dezembro), à paróquia de Alvor (5 a 12 de janeiro), à paróquia de Lagoa (19 a 26 de janeiro), à paróquia da Mexilhoeira Grande (9 a 16 de fevereiro), e agora às paróquias de Alferce, Marmelete e Monchique (23 a 30 de março).

O Código de Direito Canónico estabelece que os bispos têm a obrigação de visitar toda a diocese ao menos a cada cinco anos, podendo, em caso de necessidade, delegar essa tarefa no prelado coadjutor ou auxiliar, ou ainda num padre.

Verifique também

Bispo do Algarve faz novas nomeações com apelo a uma “pastoral de convergência”

A “proximidade da festa litúrgica da dedicação” da catedral, que se celebra amanhã, 19 de …