Inicio | Igreja | Encontros mensais pós JMJ do Panamá prosseguem no Algarve

Encontros mensais pós JMJ do Panamá prosseguem no Algarve

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Os encontros mensais pós Jornada Mundial da Juventude (JMJ) do Panamá, que tiveram início em fevereiro passado para assinalar o encerramento daquele encontro dos jovens de todo o mundo com o papa e para refletir sobre a Doutrina Social da Igreja (DSI), têm vindo a ter continuidade na Diocese do Algarve.

Depois do primeiro em Vila Real de Santo António, já se realizou um segundo em Tavira, sobre o tema da família na DSI, e, no passado dia 27 de abril, decorreu em Olhão o terceiro sobre a questão do trabalho.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

A reflexão foi apresentada desta vez pelo padre Adelino Ferreira, um dos participantes do Algarve na última JMJ. O sacerdote lembrou que a DSI “defende o direito ao trabalho em favor de todos os trabalhadores como condição da dignidade humana”. “Os cristãos devem conviver com o trabalho e torná-lo ocasião de testemunho cristão”, observou, lembrando ser “através do trabalho que o ser humano se descobre capaz de transformar a realidade e de tirar dela também sustento para a sua vida, para si e para os seus”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O assistente do Setor da Pastoral Juvenil da Diocese do Algarve, que promove aqueles encontros, exortou os jovens a esforçarem-se por estudar o pensamento da Igreja sobre os temas sociais, através da DSI. O padre Nelson Rodrigues, que também participou na última JMJ, pediu-lhes também para lerem o discurso do papa Francisco ao mundo do trabalho, proferido num fábrica em maio de 2017.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O terceiro encontro pós JMJ 2019 ficaria ainda marcado pelos testemunhos de Dinis Salvador e da coordenadora do Setor Diocesano da Pastoral Juvenil (SDPJ), também participantes no evento mundial no Panamá com o papa Francisco.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Vânia dos Santos, que viveu em janeiro a sua segunda JMJ, realçou a importância de participar num encontro com “jovens de vários países com o mesmo objetivo”. “As memórias ficam sempre cá dentro e vão fazer com que as passemos às outras pessoas e com que convidemos os outros a fazer a mesma experiência com Deus”, considerou, aludindo à importância de regressar, trazendo a mensagem do papa para “pô-la em prática”.

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O ponto alto do encontro foi o momento de oração com adoração ao Santíssimo Sacramento presidida pelo padre Tiago Veríssimo, baseada na vida de São Óscar Romero, mártir e um dos patronos da JMJ, antigo arcebispo de El Salvador.

No final do encontro, o padre Nelson Rodrigues pediu aos jovens que publicassem numa rede social à sua escolha a “ideia síntese” da mensagem do santo que foi meditada ao longo da oração: “Pode demorar, mas o amor de Deus sempre prevalece. Enquanto isso, Ele precisa que nós atendamos aos necessitados e nos coloquemos contra o mal”.

Os encontros pós JMJ terão sequência já este mês em Faro (maio), seguindo-se Quarteira (junho), Loulé (julho), Ferreiras (agosto), Portimão (setembro), Paderne (outubro), Silves (novembro) e Monchique (dezembro), terminando em janeiro do próximo ano com um encontro diocesano na Sé de Faro.

Verifique também

Primeira saída da imagem da Mãe Soberana do concelho de Loulé foi para visitar Silves

A história do culto e da devoção a Nossa Senhora da Piedade, popularmente evocada como …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.