Inicio | Cultura | Escola de Órgão da Catedral de Faro promoveu concerto e eucaristia com Coro de Câmara Vozart

Escola de Órgão da Catedral de Faro promoveu concerto e eucaristia com Coro de Câmara Vozart

No âmbito da 11ª edição do Festival de Órgão, que está a percorreu os concelhos de Faro, Portimão, Loulé e Tavira desde o passado dia 2 deste mês e termina amanhã, 30 de novembro, decorreram nos passados dias 18 e 25 deste mês duas iniciativas protagonizadas pela Escola de Órgão da Catedral de Faro. A primeira foi um concerto e a segunda a celebração de uma eucaristia acompanhada pelo órgão histórico da Sé e pelo Coro de Câmara Vozart.

As iniciativas foram promovidas conjuntamente pela Escola de Órgão da Catedral de Faro e pela Associação Cultural Música XXI que organiza o festival, tendo sido levadas a cabo pelo professor e pelos alunos da escola de órgão da Sé de Faro.

O primeiro concerto dos alunos da Escola de Órgão da Catedral de Faro aconteceu naquela Sé, realizado pelos 13 alunos do professor André Ferreira, provenientes de vários pontos do Algarve.

O alinhamento do concerto teve início com a interpretação do padre Vasco Figueirinha de “Canzonetta em Lá Menor, BuxWV 225” de Dietrich Buxtehude (1637-1707), seguindo-se Rachel Fieldhouse com “Sarabanda” de Georg Friedrïch Handel (1685-1759), Nelson Sousa com “Prelúdio da 1ª Suite” de Henry Purcell (1659-1695), Adosinda Dias com “Minuete em Sol Maior, HWA A 15,32” de Georg Friedrïch Handel, Rita Oliveira com “Minuete em Ré Menor” de anónimo, Elsa Condeço com “Prelúdio do Coral «Jesus Christus, unser Heiland, BuxWV 198»” de Dieterich Buxtehude, Silvério Cabrita com “La Mantovana” de John Playford (1623-1686), Berta Rodrigues com “Minuete em Sol Maior” de Christian Petzold (1677-1733), Paula Guerreiro com “Minuete em Ré Maior, HWA A 15,32” de Georg Friedrïch Handel, Armando Rosa com “Partita sobre o coral «Was Gott tut, das ist wohlgetan»” de Johann Pachelbel (1653-1703), Marisa Mello com “Minuete em Sol Menor” de anónimo, Marisa Gago com “Minuete em Lá Menor” de Johann Krieger (1651-1735), o padre Vasco Figueirinha com “3 Partimenti do manuscripto de Langloz (século XVIII)” e Ricardo Starkey com “Allegro” de José Lidon (1748-1827) e “Júbilo e baile de alegria do povo, da Sonata «David e Golias»” de Johann Kuhnau (1660-1722).

A missa dominical, acompanhada pelo órgão histórico da catedral de Faro que já conta com mais de 300 anos, incluiu cânticos litúrgicos a quatro vozes e também a cappella com a participação da assembleia. “Sobre um trono” (A. Cartageno e A. Ferreira), “Acto Penitencial” (M. Luís/A. Cartageno), “Glória” (F. Santos), “Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo” (M. Luís), “Aleluia” (A. Cartageno), “Santo” (C. Silva), “Cordeiro” (M. Madureira/A. Cartageno), “O cordeiro imolado” (Cónego J. Pedro Martins/Armando Rosa) e “Cristo Vence” (A. Kunc) foram os cânticos interpretados no domingo.

O Coro de Câmara Vozart, sedeado em Faro, é caraterizado por uma grande versatilidade na seleção e interpretação de repertório de várias épocas e estilos, tendo também estreado obras e harmonizações de compositores contemporâneos. Desde 2012, ano da sua estreia, realizou concertos em Faro, em Loulé e em Tavira. Atuou com o coro Ondrasek, de Nový Jičín (República Checa), com o Grupo Coral Adágio, de Portimão, com o coro Jubilate Deo, de Tavira, e manteve um intercâmbio regular com o Ensemble de Flautas de Loulé. Mais recentemente atuou no Teatro Municipal de Faro numa produção que incorporou teatro.

A Escola de Órgão da Catedral de Faro teve início há um ano, tendo como formador o organista André Ferreira, professor de órgão na Escola Diocesana de Música Sacra do Patriarcado de Lisboa, licenciado em órgão pelo Conservatório de Amesterdão, Holanda, onde estudou com Jacques van Oortmerssen, tendo igualmente trabalhado com Pieter van Dijk.

Verifique também

Criada rede intermunicipal de bibliotecas do Algarve

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), a Universidade do Algarve e a Direção-Geral dos Livros, …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.