Portugal Inovação Social financia nove projetos no Algarve de mais de 1,8 milhões de euros

Lusa
21 de Outubro de 2019

Economia

21 de Outubro de 2019

A iniciativa Portugal Inovação Social disponibilizou mais de 1,8 milhões para apoiar nove projetos nesta área no Algarve e anunciou hoje a abertura de um terceiro concurso para parcerias na região, com dotação de 2,5 milhões de euros.

Os interessados têm até 13 de janeiro de 2020 para apresentar candidaturas a este terceiro concurso para financiamento de projetos no Algarve, revelou, em comunicado, a Portugal Inovação Social, que se define como “uma iniciativa pública nacional, pioneira na Europa”.

Esta terceira candidatura destina-se a Parcerias de Impacto, um dos quatro instrumentos de financiamento geridos pela Portugal Inovação Social, a par dos Títulos de Impacto Social, da Capacitação para o Investimento Social e do Fundo para a Inovação Social, precisou.

Os 1,8 milhões de euros de financiamento público destinados pela Portugal Inovação Social a projetos no Algarve foram atribuídos no âmbito do segundo concurso e abrangeram “nove projetos dos 13 que apresentaram candidatura”, lê-se no comunicado.

“Os nove projetos agora aprovados intervêm em áreas como a saúde ou a educação, com o objetivo de testar, desenvolver ou expandir soluções inovadoras para problemas sociais como o isolamento dos idosos ou a falta de participação política e cívica dos mais jovens, entre outros”, adiantou.

A mesma fonte precisou que os “projetos vão ser implementados em 15 municípios do Algarve, nomeadamente Albufeira, Alcoutim, Aljezur, Castro Marim, Faro, Lagoa, Lagos, Loulé, Monchique, Olhão, Portimão, São Brás de Alportel, Silves, Tavira e Vila do Bispo”.

Vila Real de Santo António é o único concelho algarvio sem qualquer projeto entre as nove candidaturas aprovadas no segundo concurso, que representam “um total de 2.520.710 euros de financiamento”, dos quais “1.808.624 euros (70% do valor total) provenientes do Programa Operacional Regional do Algarve CRESC Algarve 2020 (PT2020)” e “os restantes 712.085 euros (30%) cobertos pela comparticipação de investidores sociais privados e públicos”, quantificou.

A Portugal Inovação Social adiantou que estão na base destes projetos “17 investidores sociais”, dos quais “sete municípios, cinco juntas de freguesia e cinco empresas”, entre eles a Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia da Universidade do Algarve (CRIA, cujo projeto visa “criar seis centros de recursos inovadores, terapêuticos, reabilitativos e inclusivos para dar uma resposta inovadora” na área da saúde.

“O Nosso Chão Algarve é uma ferramenta na forma de um jogo pedagógico que vai apoiar jovens e crianças na aquisição de competências de cidadania. Também na área da cidadania, o Mypolis, plataforma mobile e web que atualiza a participação cívica para o século XXI, vai alargar a sua área de atuação para Portimão”, exemplificou ainda a mesma fonte.

Projetos de promoção da saúde Mental na Infância e Adolescência (“Ser Mental”) de combate ao isolamento de idosos em zonas rurais (“Volta ao Monte), de criação de uma horta urbana social no topo do Mercado Municipal de Faro (“Horta N’isso”) ou de incentivo a uma alimentação saudável através de um estilo de vida mediterrânico (“O Prato Certo”) são outros exemplos de financiamentos já aprovados.

A iniciativa Portugal Inovação Social destina-se a “promover a inovação e o empreendedorismo social e dinamizar o mercado do investimento social em Portugal, através da mobilização de cerca de 150 milhões de euros em Fundos da União Europeia”.

share Partilhar