Pub

Cerca de 1,25 milhões de metros cúbicos de areia foram depositados ao longo de cinco quilómetros de costa algarvia nos últimos seis meses, tendo a operação terminado este mês, disse o assessor de imprensa da ARH.

“Foi uma obra que decorreu de forma exemplar, chegando a terminar alguns dias antes do prazo previsto”, acrescentou João Prudêncio, da ARH.

O prazo previsto era dia 15 de outubro.

A alimentação de algumas das mais emblemáticas praias do concelho de Loulé – Almargem, Loulé Velho, Vale de Lobo, Dunas Douradas e Vale Garrão – com 1,25 milhões de metros cúbicos de areia vem contribuir para o atenuar da erosão das arribas, mas também para uma maior segurança e conforto dos banhistas.

As obras de enchimento alargaram a zona útil das praias em 30 a 45 metros.

Depois de dragados do fundo oceânico, a profundidades que variaram entre os 20 e 30 metros, os sedimentos foram transportados para cada uma das seis estações de bombagem e colocados ao longo da costa durante a empreitada.

Os sedimentos foram depois enviados para o areal através de um tubo, com cerca 600 metros de comprimento, e posteriormente espalhados através de um outro emissário.

A maior alimentação artificial do Algarve não pôde ser efetuada durante o inverno, porque as condições do mar não permitiriam a operação das embarcações de dragagem em segurança antes de 15 de abril, explicou a ARH.

A empreitada esteve a cargo de uma empresa dinamarquesa, e foi lançada e monitorizada pela ARH do Algarve.

Lusa

Pub