Algarve acolhe segunda “Pequena Fraternidade Provisória” de Taizé

Samuel Mendonça
5 de Setembro de 2019

Igreja

5 de Setembro de 2019

Foto © Samuel Mendonça/Folha do Domingo

O Algarve está a acolher, desde o passado dia 30 de agosto, a segunda “Pequena Fraternidade Provisória” da Comunidade Ecuménica de Taizé.

Maria Fischhaber e Lisa Schmid, duas jovens alemãs, foram recebidas na paróquia da Mexilhoeira Grande onde ficarão, respetivamente, até aos dias 21 e 30 deste mês.

As “Pequenas Fraternidades Provisórias” são um projeto da comunidade ecuménica francesa, a cerca de 390 quilómetros a sudeste de Paris, coordenado pelo irmão Léo, que desde 2014 propõe a jovens a vida comunitária, durante algumas semanas, no coração de uma aldeia ou de um bairro urbano para que possam dar testemunho do evangelho e partilhar as “alegrias e tristezas dos seus habitantes”.

O dia-a-dia é ritmado por três orações comunitárias, trabalho pastoral e social com as comunidades cristãs locais, visitas a pessoas isoladas ou em situação de sofrimento, animação de orações abertas a todos e encontros com jovens.

A experiência tinha sido realizada pela primeira vez no Algarve no início de 2018, com a vinda de três jovens também alemãs para realizar trabalho pastoral e social que ficaram alojadas na casa das Missionárias da Caridade, popularmente conhecidas como Irmãs de Calcutá. Ali colaboraram no trabalho daquelas religiosas com pessoas carenciadas, algumas das quais doentes, sem quaisquer meios de subsistência.

O contacto da “Pequena Fraternidade Provisória” com os cristãos do Algarve foi uma constante nas orações noturnas diárias, abertas ao público, mas também nas visitas e encontros que realizou. As jovens estiveram ainda no Colégio de Nossa Senhora do Alto para falar aos alunos, nas paróquias de São Luís e São Pedro, onde participaram em eucaristias e se encontraram com os jovens e adultos, e tiveram ainda um encontro com o bispo do Algarve.

Na despedida da primeira “Pequena Fraternidade Provisória” tinha sido anunciado que o pároco da Mexilhoeira Grande tinha pedido para receber uma destas comunidades, o que veio agora a acontecer. Maria Fischhaber e Lisa Schmid estão alojadas na Aldeia de São José de Alcalar, um projeto da paróquia que acolhe idosos e crianças.

Amanhã, 6 de setembro, será realizada na igreja da Mexilhoeira Grande uma oração às 19h, mas a principal vigília de oração decorrerá no dia 20 deste mês, às 21h, na mesma igreja.

A Comunidade Ecuménica de Taizé foi fundada em 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, pelo falecido irmão Roger Schutz com o propósito de “reunir homens que sentissem a necessidade de juntos fazerem comunhão e viverem em paz uma vida simples, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado aos homens por Jesus Cristo”.

A comunidade de Taizé é hoje constituída por mais de 100 irmãos, de várias nacionalidades e igrejas cristãs, incluindo a católica, recebendo semanalmente a visita de milhares de jovens.

A ligação do Algarve à Comunidade de Taizé remonta à realização do Concílio de Jovens que ali teve lugar na década de 70 do século passado. As peregrinações do Algarve à comunidade monástica tiveram início desde então e todos os anos há grupos a passar alguns dias em Taizé.

share Partilhar