Vinte e sete adultos receberam nas paróquias algarvias os sacramentos da iniciação cristã

Samuel Mendonça
21 de Abril de 2014

DA
Igreja

21 de Abril de 2014

Vigilia_pascal_2014 (38)

© Samuel Mendonça

Vinte e sete adultos receberam em todas as paróquias algarvias os sacramentos da iniciação cristã (batismo, crisma e comunhão) na noite de Sábado Santo para Domingo de Páscoa.

Na Vigília Pascal na catedral de Faro, a que presidiu, o bispo do Algarve batizou, crismou e deu a primeira comunhão a sete deles, provenientes da paróquia anfitriã da Sé, destacando naquela celebração a união aos restantes adultos, eleitos no segundo domingo da Quaresma.

D. Manuel Quintas começou por lembrar o significado da fé aos eleitos e a todos os presentes. “A fé significa acreditar num Deus que nos ama verdadeiramente, que está vivo, que é capaz de intervir misteriosamente, que não nos abandona, que sabe tirar o bem do mal com o seu poder e a sua criatividade infinita”, afirmou.

O prelado lembrou-lhes que “ser batizados significa passar com Cristo da morte para a vida”. “Por isso mesmo devemos assumir as consequências desta configuração com Cristo. Ser batizado, ser sepultado na morte com Cristo, significa abandonar todas as formas de pecado porque pela sua ressurreição entrámos na vida nova dos filhos de Deus”, afirmou aos eleitos, agora neófitos (recém-batizados).

A eles, como a todos os outros cristãos, o bispo diocesano pediu que proclamem “com o coração cheio de alegria e esperança que Jesus, pela sua ressurreição, venceu o pecado e a morte”. “Seguimos alguém que está vivo, que não ficou no túmulo, que ressuscitou! Não tenhamos medo de deixar extravasar a alegria que inundou o nosso coração nesta noite!”, exortou.

“Procurai viver agora em fidelidade a todos os dons que hoje recebestes, crescendo sempre mais na pertença a esta vossa paróquia, procurando disponibilizar-vos na medida das vossas capacidades, dos vossos dons e possibilidades para que ela cresça sempre mais com a vossa ajuda, apoio e testemunho. Nós precisamos de vós e do vosso testemunho. O mundo precisa tanto do nosso testemunho alegre e convicto de Cristo ressuscitado”, pediu aos neófitos.

share Partilhar