Pub

Tratando-se de uma atividade dirigida à IV secção do CNE constituída por Caminheiros e Companheiros (jovens com idades compreendidas entre os 18 e 22 anos), a mesma reveste-se de grande importância, na medida em que se apresenta, essencialmente, como um espaço informal que pretende promover e incentivar o debate entre escuteiros sobre temáticas com interesse para o desenvolvimento da secção contribuindo, desta forma, para o desenvolvimento da mesma e, consequentemente, do progresso educacional escutista.

Estima-se que participem neste cenáculo regional cerca de 50 caminheiros/companheiros.

Refira-se que o Cenáculo Nacional é um projeto implementado em Portugal há cerca de nove anos, e que decorre das orientações da 33.ª Conferência Mundial, realizada em 1993, que definiu como prioridade estratégica do Escutismo Mundial a promoção do envolvimento dos jovens nos processos de tomada de decisão a todos os níveis do movimento.

A nível nacional são promovidos anualmente três encontros (no mínimo), sendo os dois primeiros denominados por Cenáculo e o terceiro por Cenáculo Aberto, participando neste último os representantes das regiões que participaram nos dois primeiros encontros e dos representantes que transitam para o ciclo seguinte, permitindo, assim, a renovação da Equipa de Projeto e dos participantes. O resultado da reflexão nacional é trazido para cada região para a realização de um Cenáculo regional.

Embora já se tivesse querido implementar esta iniciativa no Algarve, ela nunca chegou a ter sucesso. João Calão, membro da Junta Regional do Algarve do CNE, disse à FOLHA DO DOMINGO, na comemoração do último Dia de São Paulo (patrono dos Caminheiros) em Tavira, a 29 de janeiro último, que a solução pode passar pela implementação de “regras e acompanhamento”.

Pub