Pub

Presidida pelo padre Pedro Manuel, prefeito e ecónomo do Seminário de Faro, a peregrinação teve no primeiro dia como destino Santiago de Compostela (Espanha), mas antes o grupo passou por Fátima. Aí celebraram a Eucaristia na capela onde anteriormente se fazia adoração ao Santíssimo Sacramento, o primeiro momento de celebração conjunta de todo o grupo e o principal do dia.

A viagem continuou até Santiago de Compostela, onde chegaram ao final da tarde.

No segundo dia, 4 de Maio, começaram por um passeio panorâmico pelos arredores da cidade, fizeram parte do caminho francês de Santiago e passaram junto ao "Monte do Gozo", onde o papa João Paulo II celebrou a IV Jornada Mundial da Juventude.

Conheceram ainda os arredores e a Catedral, onde celebraram a Eucaristia, na capela de Nossa Senhora del Pilar. Se de manhã abraçaram a imagem de Santiago e rezaram junto ao seu túmulo, de tarde, após a Eucaristia, tiveram tarde livre.

Na quarta-feira, dia 5 de Maio, chegaram a Lourdes (França), após um dia inteiro de viagem, junto à orla marítima do norte de Espanha. Em Oviedo conheceram a relíquia do Santo Sudário. 

Ontem, dia 6 de Maio, quinta-feira, participaram na Eucaristia pelas 7h na capela da Adoração e encontraram-se com alguns elementos das paróquias de Silves e Quelfes que estão também a realizar uma peregrinação semelhante. Em Lourdes viveram ainda outro momento significativo com a participação na Via Sacra e conheceram as três grandes basílicas e a cripta, sendo que a tarde foi de tempo livre. Após o jantar, participaram ainda na procissão de velas.

O padre Pedro Manuel refere que “o grupo de peregrinos é muito coeso e está em sintonia”. “Sinto que esta peregrinação está a ser também uma oportunidade de retiro e oração pelo Santo Padre, pelo nosso Bispo e pela nossa Igreja diocesana”, acrescenta ainda o jovem sacerdote garantindo que a peregrinação “tem sido muito mais que convívio”. “Como experiência de peregrinação e retiro está a ser excelente”, complementa.

Também Ana Maria Pimenta, uma das peregrinas destaca a interioridade da iniciativa. “A peregrinação, presidida pelo padre Pedro, está-nos a tocar a todos muito profundamente. É a peregrinação interior a que mais importa e essa julgo que está a ser feita pela maioria de nós”.

Os algarvios partiram hoje com destino a Paray-le-Monial e amanhã, o sexto dia, seguem da cidade de Santa Margarida Maria Alacoque para Cluny e Taizé. Na comunidade ecuménica fundada pelo irmão Roger, participam na oração comunitária do meio-dia e seguem para Ars. De tarde visitam Dardilly, terra natal de São João Maria Vianney, o Cura d’Ars, e chegam a Lyon. No sétimo dia, os algarvios visitam Avignon e Montserrat, esta última já em Espanha, e, no último dia, regressam ao Algarve.

Para além do padre Pedro Manuel, a peregrinação está ainda ser participada pelo diácono Joaquim Mendes Marques, a residir actualmente no Funchal, e por pessoas oriundas de Boliqueime, Faro, Lagos, Loulé, Olhão, Portimão, Quarteira, São Brás de Alportel, Silves e Tavira.

Recorde-se que Ars é uma vila da França situada a norte de Lyon, intimamente ligada a São João Maria Vianney (1786-1859). Tendo chegado à paróquia d’Ars e encontrado a Igreja vazia e praticamente sem fiéis, o padre João Maria Vianney concentrou-se na adoração eucarística, passando longas horas em oração diante do sacrário. Pela caridade e benevolência com que acolhia todos os seus paroquianos, conseguiu atrai-los para a Igreja, onde se notabilizou pela qualidade das suas catequeses, pela direcção espiritual e pelo atendimento que lhes dispensava no sacramento da reconciliação. A sua fama ultrapassou as fronteiras da Diocese de Belley e estendeu-se a toda a França, tornando a pequena Ars num autêntico centro de peregrinação de multidões que demandavam a sua igreja para se encontrarem com o pároco e junto dele e através dele se deram incontáveis conversões, de cristãos afastados, e até de ateus e agnósticos, que se convertiam só ao ouvi-lo e logo pediam o sacramento da Reconciliação.

Pub