Pub

A quantidade agora recolhida representa um acréscimo de mais de 30% em relação às 2490 toneladas recolhidas em Dezembro de 2009, o que constitui um “recorde absoluto desde que estas campanhas de recolha se efectuam em Portugal”, indica comunicado enviado à Agência Ecclesia.

Também o número de voluntários envolvidos, ultrapassando os 30 mil, jamais tinha sido atingido em ocasiões anteriores.

A iniciativa decorreu em mais de 1147 superfícies comerciais das zonas de Abrantes, Algarve, Aveiro, Braga, Coimbra, Cova da Beira, Évora e Beja, Leiria-Fátima, Lisboa, Oeste, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, S. Miguel, Viana do Castelo, Viseu e, pela primeira vez, na Terceira (Açores).

Para os responsáveis pelo Banco Alimentar, “os resultados obtidos voltam a evidenciar uma extraordinária adesão da parte dos Portugueses para com esta acção”, apesar do clima de “profunda crise económica”.

“Mostrámos todos que é possível reagir, sem desesperança, tomando entre mãos e contribuindo com aquilo que está ao nosso alcance para a resolução dos problemas mais prementes que afectam a nossa sociedade. Cá estaremos para provar que somos merecedores desta adesão, desta solidariedade e desta confiança”, afirmou Isabel Jonet, Presidente da Federação dos Bancos Alimentares contra a Fome.

No Algarve foram recolhidas cerca de 190 toneladas, um aumento significativo relativamente ao ano passado em que, na campanha de Novembro, foram recolhidas 149 toneladas.

Os géneros alimentares recolhidos serão distribuídos a partir da próxima semana a mais de 1800 Instituições de Solidariedade Social que os entregam a cerca de 280 mil pessoas com carências alimentares comprovadas, sob a forma de cabazes ou de refeições confeccionadas. No Algarve são 74 as instituições que recebem os bens para os entregarem a cerca de 15 mil pessoas carenciadas.

Ao longo da próxima semana, até 5 de Dezembro, haverá ainda a possibilidade de contribuir para os Bancos Alimentares Contra a Fome através da Campanha “Ajuda Vale”, presente em todas as lojas das cadeias Pingo Doce/Feira Nova, Dia/Minipreço, El Corte Inglês, Jumbo/Pão de Açúcar, Lidl, Modelo/Continente.

Nesses estabelecimentos serão disponibilizados em suportes próprios cupões-vale de produtos seleccionados (azeite, óleo, leite, salsichas, atum e esparguete). Cada cupão representa uma unidade do produto.

Também na rede de cerca 3700 lojas Payshop espalhadas por todo o País é possível contribuir para esta campanha, efectuando uma doação em dinheiro que será convertida em leite e dará lugar à emissão de recibo.

A actividade dos Bancos Alimentares norteia-se pelo princípio genérico da “recolha local, ajuda local”, aproximando os dadores dos beneficiários e permitindo uma proximidade entre quem dá e quem recebe.

Em Portugal o primeiro Banco Alimentar Contra a Fome foi aberto em 1991, estando actualmente em actividade no território nacional 18 Bancos Alimentares, congregados na Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, com o objectivo comum de ajudar as pessoas carenciadas, pela doação e partilha.

Redacção com Ecclesia

Pub