Breves
Inicio | Igreja | 37 algarvios participam no Encontro Europeu de Taizé na Polónia

37 algarvios participam no Encontro Europeu de Taizé na Polónia

O encontro acolhe este ano, a convite da Comunidade Ecuménica de Taizé, 30 mil jovens de toda a Europa e dos outros continentes, dos quais quase 450 são portugueses.

A edição deste ano é organizada a convite do Arcebispo e de responsáveis ecuménicos de Poznan. De Portugal à Rússia, da Suécia à Croácia, todos os países europeus estão representados.

Os Encontros Europeus de cinco dias são animados pelos irmãos de Taizé desde 1978. Já tiveram lugar em Paris, Barcelona, Londres, Roma, e também em Praga, Viena, Munique, Budapeste, Milão, Lisboa, Zagreb, Genebra ou Bruxelas. Houve três Encontros Europeus na Polónia, dois em Wroclaw (1989 e 1995) e um em Varsóvia (1999). Estes encontros inscrevem-se numa «Peregrinação de Confiança através da Terra» lançada há trinta anos pelo irmão Roger, o fundador da Comunidade de Taizé.

Temas de reflexão

À chegada a Poznan, os jovens receberam a «Carta da China» do irmão Alois. Taizé mantém relações com os cristãos da China há mais de vinte anos. Como sinal de amizade, a Comunidade, através da «Operação Esperança», mandou imprimir este ano um milhão de Bíblias em chinês, que estão a ser distribuídas em todas as regiões do país. “A fé entre os cristãos deste país é muito dinâmica”, escreveu o irmão Alois.

“Admiramos a sua perseverança e a sua fidelidade. Houve várias pessoas que nos falaram sobre o sofrimento que os seus pais ou os seus avós atravessaram por causa da fé. Encontrámos cristãos que, no seu humilde lugar, contribuem activamente na construção do futuro do seu país”, acrescentou.

Na Província de Sichuan, por exemplo, “depois do grande tremor de terra de 2008, alguns foram ajudar no auxílio às vítimas e ainda lá se encontram, sendo a sua presença muito apreciada pela população local”.

Durante o Encontro na Polónia, de manhã os jovens estarão em 150 paróquias das Dioceses de Poznan e de Gniezno. Na parte da tarde vão encontrar-se no Parque de Exposições da cidade para as refeições, as orações comunitárias e workshops sobre questões relacionadas com a sociedade e a vida interior.

Para as tardes dos dias 30 e 31 de Dezembro, o programa do Encontro propõe uma lista de workshops com cerca de vinte temas à escolha. «Prestar atenção àquilo que se encontra no mais profundo de nós próprios…»; «Deus leva a sério as dúvidas e a revolta» e «o que fizeste da tua liberdade?» são expressões da «Carta da China» que vão inspirar alguns deles. Também haverá workshops com propósitos mais sociais, como por exemplo um «encontro com jovens empenhados no serviço aos mais pobres, lutando pelo respeito da dignidade de todos», ou sobre assuntos culturais: entre estes um que apresentará a « Vida e história da Polónia através da pintura de Jacek Malczewski (1854-1929)» e outro com «testemunhos de jovens vindos do Chile, das Filipinas e da Índia.»

Na tarde de dia 1 de Janeiro haverá encontros por país ou região de origem, com o tema: «Renovar a nossa coragem.» Estes encontros, animados por irmãos de Taizé, são uma ocasião para descobrir iniciativas locais e reflectir sobre como continuar a «peregrinação de confiança» de regresso a casa.

Durante o Encontro, os jovens vão reunir-se todos os dias às 13:15 e às 19:00 no parque de exposições de Poznan (MTP) para as orações comunitárias, que terão lugar em dois pavilhões especialmente decorados para a ocasião. O irmão Alois falará aos jovens todos os dias durante a oração da noite.

Mensagens de apoio

Já chegaram a Taizé várias mensagens de apoio à Comunidade e aos participantes no Encontro e outras mensagens são ainda esperadas.

Bento XVI diz que “o Papa confia em vós para ir ao encontro dos homens e mulheres que perderam o sentido de Deus, que o procuram como que tacteando, às vezes sem disso se aperceberem”.

Também o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki Moon, se quis unir à iniciativa, saudando “a ênfase que a Peregrinação deste ano coloca nas questões sociais, nomeadamente sobre o sentido da liberdade”.

O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, lembra por seu turno que a cidade de Poznan e a Polónia, escolhidas pela Comunidade de Taizé para o encontro deste ano, evocam duas datas cruciais para a nossa história: “O deflagrar da II Guerra Mundial, em Agosto de 1939, e a queda da cortina de ferro, no Outono de 1989, que permitiu o regresso da democracia na Europa central e abriu caminho à reunificação do nosso Continente”.

2010

Depois de Poznan, a «Peregrinação de Confiança» terá duas etapas no mês de Fevereiro de 2010: uma Asiática, em Manila, e uma Ibérica, no Porto.

A convite de D. Manuel Clemente, no Carnaval do próximo ano, milhares de jovens de toda a Península Ibérica vão procurar as Fontes da Alegria «no louvor, na partilha e no testemunho».

As seguintes palavras do irmão Alois vão certamente interpelar os jovens nessa procura: «Ao entrar na idade adulta, há jovens que perdem a sua ligação à comunidade cristã. Muitas vezes não se trata de uma decisão amadurecida, mas de uma cadeia de circunstâncias que remetem a fé para o fundo da escala de prioridades… Uma fé que permaneça ao nível das expressões que se aprendem no período da infância terá dificuldades em enfrentar as interrogações da idade adulta. Podemos alegrar-nos ao aprofundar a nossa compreensão do mistério da fé em cada etapa da nossa vida… Alegremo-nos pela sede que Deus depositou em nós! Ela dá uma vitalidade renovada a toda a nossa vida.»

Verifique também

Sínodo para a Amazónia foi “laboratório do que se pretende para a Igreja e para o mundo” [c/vídeo🎦]

O teólogo Juan Ambrosio considera que a Amazónia “é um laboratório do que o papa …

Folha do Domingo

GRÁTIS
BAIXAR