Pub

Cerca de 600 peixes de duas espécies em risco de extinção vão ser hoje libertados na ribeira de Odelouca, em Alferce, concelho de Monchique, anunciou a associação ambientalista Quercus.

Em comunicado, a Quercus adiantou que os peixes a libertar, que foram reproduzidos em cativeiro, pertencem às espécies boga-do-sudoeste e escalo-do-Arade, ambas “criticamente em perigo” de extinção.

A ação acontece no âmbito do projeto “Conservação ex situ de organismos fluviais”, em curso desde 2008 e cujo objetivo é reproduzir e manter populações “ex situ” de algumas das espécies de peixes de água doce mais ameaçadas em Portugal, lê-se no comunicado.

A reprodução de peixes em cativeiro é desenvolvida em instalações do Aquário Vasco da Gama, em Oeiras, e no Posto Aquícola de Campelo, disponibilizado pelo Município de Figueiró dos Vinhos, sendo gerida pela Quercus.

“No final do processo de reprodução e ambientação em cativeiro, os repovoamentos de peixes são efetuados em troços dos rios de origem, dos indivíduos inicialmente capturados para reprodutores, que apresentem características favoráveis à sobrevivência e reprodução dos peixes”, referiu a Quercus.

Sempre que possível, os troços onde é feito o repovoamento estão associados a projetos de recuperação de linhas de água, envolvendo cidadãos e entidades que localmente possam fazer uma monitorização destas bacias hidrográficas, conclui.

O projeto é dinamizado pela Quercus, Aquário Vasco da Gama, Centro de Investigação em Biologia Marinha (MARE-ISPA) e Faculdade de Medicina Veterinária, tendo como parceiros a Câmara de Figueiró dos Vinhos e a Águas do Algarve.

Pub