Pub

Na apresentação, que teve lugar no salão nobre do Seminário de São José da Diocese do Algarve, o secretário-geral da SBP explicou que a edição que agora saiu a lume “é o mais recente texto bíblico em língua portuguesa”, a única tradução interconfessional em Portugal e a única tradução interconfessional em português. “Não é uma nova tradução, mas resulta de um processo de revisão que durou cerca de 10 anos, depois de um processo de tradução que decorreu entre 1972 e 1993”, disse Timóteo Cavaco, destacando o “trabalho bastante aturado e intenso” feito por uma equipa de biblistas católicos e protestantes que, pela primeira vez, se juntou à mesa.

Um desses biblistas, o professor José Augusto Ramos, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, que é simultaneamente um dos tradutores da Bíblia dos Capuchinhos, esteve também em Faro para explicar que “é agora que acaba o processo”. No entanto, ressalvou que “a Bíblia anda continuamente em estado de tradução”, pois “a tradução nunca é uma coisa definitiva”. “Só um texto original é que é ele mesmo”, justificou.

Timóteo Cavaco explicou que o processo de revisão foi iniciado em 1999 e que já foram editados mais de 1 milhão e 700 mil exemplares desta tradução, sendo que, o ano passado, saiu uma edição literária desta Bíblia. “Foi uma edição muito bem sucedida porque apelava a um público que não estava habituado a ler a Bíblia. Esperamos que, esse público, agora mais interessado em ler a Bíblia, possa complementar essa leitura com todo um conjunto de ajudas que incluímos nesta edição interconfessional”, disse, fazendo referência a um estudo mandado fazer pela SBP que indicou que 95% dos portugueses não liam regularmente a Bíblia e que cerca de 30% nem sequer tinham um exemplar da Sagrada Escritura em casa.

Designada “A Bíblia para todos”, a edição agora publicada integra uma aprovação da Conferência Episcopal Portuguesa na qual se realça que a mesma é para pessoas de diferentes extractos sociais ou culturais e para pessoas de todas as confissões.

Para além disso, a Bíblia interconfessional é ainda complementada com um sítio na internet (brevemente disponível), a que todos poderão ter acesso através do código do marcador de página que cada exemplar traz. Ali, os visitantes “vão encontrar o texto bíblico, com possibilidade de introdução de anotações pessoais, mas também um conjunto de outras ajudas”, explicou Timóteo Cavaco.

José Augusto Ramos confessou ainda que o português corrente foi “uma preocupação” desde o princípio, mas “não foi a ideia motivadora”. “Pretendia-se sobretudo uma tradução que ultrapassasse a distância de algumas traduções com textos de há muitos anos, com fórmulas que já não soavam com tanta clareza aos nossos ouvidos”, justificou o biblista que destacou também a recuperação de algum contacto com os textos hebraicos anteriores à tradução grega que serviu primeiramente de base à Bíblia que tem sido usada em Portugal.

A propósito da relação estabelecida no seio da equipa tradutora, José Augusto Ramos disse que foi um “aprender a viver interconfessionalmente” e uma “experiência de convívio absolutamente feliz”.

Por outro lado, destacou que a “sensibilidade interconfessional” desta Bíblia nota-se sobretudo na sua “sobriedade textual”, com “poucas notas e contidas introduções por disciplina e respeito à grande variedade de leitores à qual se destina e à grande variedade de tradutores que estavam na base da tradução”. “A clareza que as notas poderiam trazer é metida em texto”, observou.

O tradutor considerou ainda que as traduções da Bíblia são todas “legítimas e esforçadas” e que convém não “mitificar” nenhuma.

A Sociedade Bíblica de Portugal é uma associação cristã interconfessional, para a divulgação da Bíblia, reconhecida de Utilidade Pública e sem fins lucrativos, e que está em Portugal há 200 anos. Integra uma fraternidade mundial de organizações congéneres que operam em mais de 200 países e territórios.

“O nosso objectivo é fazer chegar a Bíblia às pessoas, mas também trazer as pessoas à Bíblia. Pessoas de fé, mas também pessoas que não têm fé e que encontrem na Bíblia princípios e valores fulcrais para a sociedade”, esclareceu Timóteo Cavaco que fez a entrega simbólica, ao reitor do Seminário de Faro, o cónego José Pedro Martins, de um exemplar da nova edição interconfessional que é distribuída pelas Paulinas pelo preço de 23,90 euros (capa maleável) ou 25,90 euros (capa rija).

Samuel Mendonça

Pub