Pub

Depois do sucesso de "Dá-me um Abraço" e "O Teu Nome", "Não me percas nunca mais" é o novo destaque do primeiro disco a solo de Miguel Gameiro, A Porta ao Lado, que o artista apresenta no dia 18 de fevereiro, em Olhão. Poderemos ainda ouvir temas como “Alquimia”, “O Homem e a Bala”, “Só Porque Sim”, “Leva-me Contigo” ou “Quero-te Assim”.

Conhecemos Miguel Gameiro desde 1992 quando, com 18 anos, surgiu como um dos fundadores dos Pólo Norte. Desde cedo se interessou pela escrita e pela música, interesse esse que se viria a revelar crucial na composição de algumas das mais emblemáticas canções do grupo. Em 1994 surge "Expedição", produzido por Fernando Cunha (Delfins) e que viria a ser disco de ouro. "Lisboa", "Amor é" e "Grito" (com a participação especial de Miguel Ângelo) foram algumas das canções mais marcantes.

"Aprender a ser feliz" (1996), foi outro dos sucessos do grupo, também disco de ouro. Seguiu-se “Longe" (1999), produzido por Jony Galvão. Em 2000, o grupo sentia-se preparado para a gravação de um disco ao vivo, que viria a acontecer na mítica Aula Magna, e que celebrava os inúmeros concertos realizados pela banda até então. "Deixa o Mundo Girar" (2005), produzido por Steve Lyon, (Depeche Mode, The Cure), foi aclamado como um dos melhores trabalhos do grupo até então. Desse álbum, "Deixa o Mundo Girar", "A Dança" e "Pele", foram as canções com maior destaque. Em 2008, “Pólo Norte 15 Anos” marcou uma década e meia de canções do grupo, que reuniu os mais marcantes êxitos e dois originais: "Asa Livre" e "Jeito de Ser".

Pub