Pub

© Samuel Mendonça
© Samuel Mendonça

A abertura ao trânsito da variante Norte a Faro, obra que esteve parada durante três anos e que foi retomada em agosto passado, está prevista para o início do verão, avançou hoje à Lusa o presidente da autarquia, Rogério Bacalhau.

“De acordo com o cronograma, a obra fica concluída no final de maio, por isso, se tudo correr bem, no final de junho ou início de julho há condições para abrir a variante” da estrada, afirmou o autarca.

Os trabalhos para concluir a segunda fase da variante intensificaram-se nas últimas semanas – afetando o trânsito na Estrada Nacional (EN) 125, entre Faro e Olhão -, uma obra que permitirá retirar do centro de Faro uma média de 20 mil carros por dia, reduzindo filas de trânsito e engarrafamentos.

A construção do acesso da EN 125 à variante está a condicionar o trânsito no trajeto que liga as duas cidades, situação que deverá manter-se nos próximos dois meses, segundo informou a autarquia em comunicado, apelando aos automobilistas para que tenham cuidados redobrados.

“Vamos ter que ter alguma paciência, mas o esforço vai compensar”, disse Rogério Bacalhau, aludindo às restrições no tráfego no sentido Olhão-Faro, que foi desviado provisoriamente para o sentido contrário, que, enquanto a construção do acesso decorrer, acumulará ambos os sentidos.

Numa segunda fase, a autarquia prevê que o trânsito seja desviado para o traçado da variante em construção, de forma a permitir que a obra se desenvolva na sua etapa final, sublinha a autarquia.

Além da construção da ligação à EN125, as obras da Variante Norte a Faro, com uma extensão aproximada de 2,5 quilómetros, implicam ainda a construção de três pontes, seis passagens superiores e uma passagem inferior.

A entrada em funcionamento da variante permitirá ainda restabelecer o tráfego em três vias municipais e em várias estradas de serviço.

Rogério Bacalhau mantém, contudo, a esperança, que o trânsito na Estrada Municipal da Penha reabra antes mesmo de as obras da variante estarem concluídas, já que se trata de uma importante via alternativa para quem entra e sai do concelho.

“Pedi à Estradas de Portugal para intensificar os trabalhos nessa zona [Penha], para abrir a estrada o mais rapidamente possível”, sublinhou.

A obra da Variante Norte a Faro arrancou em 2009 com um orçamento de 17 milhões de euros, mas foi suspensa em 2011, assim como toda a empreitada de requalificação da EN 125, por dificuldades financeiras do consórcio construtor.

A obra, da Estradas de Portugal, está a cargo da subconcessionária Rotas do Algarve Litoral, responsável, também pela construção das variantes de Lagos e do Troto (Almancil).

Pub