Pub

A iniciativa, que teve lugar no Parque de Campismo de Alvor, participada por cerca de 350 Exploradores e Moços e 60 dirigentes do CNE, teve início no sábado (21 de abril) de manhã, com a montagem de campo, seguindo-se o almoço e a abertura de campo, após a qual foi celebrada a eucaristia presidida pelo padre Domingos Fernandes, assistente regional adjunto do CNE.

Depois da eucaristia, realizou-se, por grupos (patrulhas e tripulações), um “Jogo de Vila” com várias tarefas e postos de paragem, regressando os participantes ao acampamento para a preparação do jantar, após o qual se realizou o Fogo de Conselho.

No domingo, depois da alvorada, os Exploradores e Moços realizaram um raide em direção ao apeadeiro ferroviário da Mexilhoeira Grande, passando pela Penina, com regresso ao acampamento pela ria de Alvor à qual se subordinou o tema do acampamento: “Viver em harmonia com a ria”. Nesta travessia, os escuteiros tiveram a colaboração de 12 embarcações de pesca de pescadores locais.

Após o almoço, decorreu a desmontagem do campo, seguindo-se a avaliação e cerimónia de encerramento com entrega de diplomas e o adeus.

Esta iniciativa de comemoração do Dia da II secção do CNE ocorreu no âmbito da celebração do patrono mundial do escutismo – São Jorge – que, anteriormente à reestruturação do programa educativo daquele movimento, era também o patrono de Exploradores e Moços. Atualmente, estes escuteiros passaram a ter como patrono principal São Tiago, mas, no Algarve, a comemoração do Dia da II secção manteve-se no Dia de São Jorge, uma vez que São Tiago se comemora em julho e nessa altura a maioria dos efetivos dos agrupamentos algarvios estão desmobilizados.

Samuel Mendonça
Pub