Pub

A iniciativa, de preparação para as celebrações pascais, teve lugar na igreja da Conceição de Faro para 14 acólitos das paróquias das vigararias de Faro e Tavira e nas instalações da paróquia da Mexilhoeira Grande para 68 acólitos das paróquias das vigararias de Loulé e Portimão.

O primeiro, orientado por Marco Matos, do Centro Diocesano de Acólitos, contou com participantes das paróquias de Ferreiras, Quelfes, São Luís e São Pedro de Faro (concretamente da comunidade do Patacão), para além da paróquia anfitriã. O segundo, orientado pelo padre Mário de Sousa, contou com participantes das paróquias da Luz de Lagos, Matriz de Portimão, Messines, Mexilhoeira da Carregação, Parchal, Santa Maria de Lagos e Silves, para além da paróquia anfitriã.

Para além do acolhimento e da oração da manhã, o dia foi constituído pela apresentação do tema da Quaresma, seguindo-se um momento de trabalhos de grupo.

O Centro Diocesano de Acólitos explica que estas ações são organizadas com o objetivo de “ajudar a dignificar a celebração litúrgica e todos aqueles que servem a comunidade cristã”. No encontro, que serviu igualmente para encetar a preparação do Dia Diocesano do Acólito, foram ainda escolhidos os representantes vicariais de acólitos para todas as vigararias da diocese algarvia.

O acólito, palavra de origem grega que significa “acompanhar” ou “seguir”, ajuda o clero católico no serviço do altar, podendo ser solenemente instituído, o que acontece no âmbito da formação para o sacerdócio.

Também chamada arciprestado ou ouvidoria, a vigararia é uma circunscrição eclesiástica da qual fazem parte várias paróquias ou quase paróquias (vicariatos).

Samuel Mendonça

Pub