Pub

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O cónego Carlos César Chantre celebrou 30 anos de ordenação sacerdotal no passado dia 28 de junho e os acólitos de paróquias por onde passou quiseram assinalar a efeméride no passado sábado com a celebração de uma eucaristia na igreja matriz de Pêra, presidida pelo aniversariante.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

“Não é muito habitual celebrar o aniversário da minha ordenação sacerdotal. Faço-o sempre a título muito privado. Abri uma exceção nos 25 anos e pensava abrir, se Deus quiser, nos 50 anos, mas estes rapazes obrigaram-me a reviver a minha ordenação sacerdotal. Dou graças a Deus por isso”, afirmou na eucaristia o sacerdote que é também vigário geral da Diocese do Algarve.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O cónego César Chantre começou por lembrar o descobrimento da sua vocação. “Este gesto destes rapazes fez-me reviver os meus primeiros contactos de introdução ao sacerdócio, de tal forma que me obrigaram a ler ontem à noite uma carta muito bonita, escrita pelo então bispo de Cabo Verde, já falecido, para o Seminário de Évora. E a força daquela carta é que fez com que eu despertasse para a minha vocação que ainda não sabia bem qual era. Dizia-me: «só basta acreditares em Jesus Cristo». Isso ajudou-me muito na minha vida sacerdotal”, contou.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O aniversariante destacou que os sacerdotes são ordenados para “imprimir junto do povo o sacerdócio real que é Jesus Cristo” porque “Ele é que é o sacerdote”. “Nós participamos do sacerdócio d’Ele para que o sacerdócio d’Ele nunca seja esquecido no meio do povo. Temos de reconhecer que nem sempre somos testemunhas firmes deste Jesus Cristo que tanto amamos”, afirmou, explicando que “todo aquele que é batizado faz parte do sacerdócio de Cristo”.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

Na eucaristia, que foi concelebrada pelo vigário da vigararia de Loulé, o padre Carlos de Aquino e promovida e participada por várias gerações de acólitos das paróquias de Boliqueime, Ferreiras, Paderne e Pêra, o sacerdote referiu-se à sua passagem por esta última paróquia há 26 anos. “Quando passei por Pêra, por pouco tempo, fiquei conquistado pela simplicidade das pessoas daqui. Ajudaram-me porque era a primeira paróquia onde estava a exercer depois da experiência que tive em Faro”, lembrou.

Foto © Samuel Mendonça
Foto © Samuel Mendonça

O cónego César Chantre, natural da cidade de Mindelo, na ilha de São Vicente (Cabo Verde), onde nasceu a 15 de maio de 1952, foi pároco in solidum de Albufeira e de Pêra, pároco de Paderne, Boliqueime e Ferreiras. É pároco de São Pedro de Faro desde setembro de 2013 e vigário geral da Diocese do Algarve desde março deste ano.

Pub