Breves
Inicio | Sociedade | Ahsrita Furman estebelece no Algarve recorde mundial de monociclo debaixo de água

Ahsrita Furman estebelece no Algarve recorde mundial de monociclo debaixo de água

© Luís Forra/Lusa
© Luís Forra/Lusa

O norte-americano Ashrita Furman estabeleceu hoje o primeiro recorde do mundo a andar de monociclo debaixo de água, em 2.100 metros, proeza alcançada na piscina municipal de Lagos, registando o seu 169.º recorde do Guinness World Records.

O nova-iorquino, de 59 anos, detentor do maior número de recordes do Guinness, cumpriu 100 voltas à piscina em Lagos, na distância de 2.100 metros, em uma hora e 52 minutos, constituindo o primeiro recorde num monociclo debaixo de água que terá de ser homologado pelo livro mundial de recordes.

“Diverti-me imenso e penso que este poderá ser um novo desporto. Sinto-me muito bem e com vontade de continuar, mas terminei porque sabia que tinha muita gente à minha espera”, disse Ashrita Furman ao sair da piscina após cumprir mais um recorde pessoal e mundial.

O empresário norte-americano, que detém atualmente 169 dos mais de 480 recordes mundiais alcançados ao longo de mais de 30 anos, dedicou “o novo recorde” a Sri Chinmoy, o seu antigo mestre de meditação.

“Pretendo demonstrar que a filosofia de autotranscendência consegue superar limites e ir mais além. Dedico este recorde a Sri Chinmoy, que foi o meu mestre de meditação ao longo de cerca de 40 anos”, observou Ashrita Furman.

O recordista profissional, equipado com um fato de mergulho e garrafas de ar, iniciou a proeza pouco passava das 10:00 da manhã, sentado num monociclo debaixo de água na piscina municipal de Lagos, acompanhado por elementos do Guiness World Records que iam registando o tempo e a distância percorrida.

De acordo com jurados, depois de “um período inicial algo lento, Ashrita manteve um ritmo elevado ultrapassando as marcas previamente estabelecidas para cada volta”.

Ashrita colocou como primeiro objetivo cumprir 53 voltas à piscina, na distância de cerca de 1.595 metros (cerca de uma milha terrestre) e como segundo objetivo as 76 voltas, mas acabou por superar todas as marcas.

Segundo os jurados, Ashrita não desrespeitou nenhuma das regras previamente estabelecidas que pudessem inviabilizar a homologação do recorde mundial.

As regras impediam que o norte-americano parasse ou saísse da água, permitindo apenas breves paragens com a colocação de um dos pés no chão para que fossem trocadas as botijas de ar.

O recorde de hoje em Lagos, é o segundo que o norte-americano alcança em Portugal, depois de, em 2011, ter estabelecido em Coimbra um novo máximo mundial, ao percorrer mais de 3.000 metros debaixo de água em bicicleta.

Ashrita Furman disse à agência Lusa que pretende voltar brevemente a Portugal para uma nova proeza mundial, que é “tentar superar a melhor marca mundial de encher balões”.

“Vou tentar encher o máximo de balões numa hora e ultrapassar o recorde mundial que está fixado em 582 balões”, concluiu.

Verifique também

Câmara de Faro atribuiu nome do padre João Sustelo a praceta da cidade

A Câmara de Faro atribuiu no Dia do Município, 7 de setembro, o nome do …