Pub

Fonte da Algar referiu à Lusa que a nova Central de Valorização Orgânica (CVO) deverá entrar em serviço experimental no terceiro trimestre deste ano, estando ainda em concurso a empreitada de conclusão das infraestruturas e equipamentos.

A nova central permitirá produzir em 2013 cerca de um milhão de quilowatts de biogás, energia renovável obtida pela degradação dos resíduos orgânicos, que já é produzida atualmente no Algarve nos aterros sanitários do Barlavento e Sotavento.

Segundo a mesma fonte, em 2012 foram produzidos, naquelas unidades, cerca de 10 milhões de quilowatts de biogás, produção que a empresa estima que aumente no final deste ano para cerca de 16 milhões.

A Algar acrescenta que este tratamento contribui fortemente para o cumprimento nacional das metas comunitárias e da diretiva aterros, posicionando o país ao nível da aplicação das “melhores práticas disponíveis” para este fluxo de resíduos.

Outro dos projetos da Algar previstos para 2013 é a execução de uma cobertura flutuante da lagoa de lixiviados do aterro sanitário do Sotavento.

A empresa prevê ainda instalar no aterro do Barlavento uma unidade de tratamento mecânico, com uma capacidade de tratamento de 100.000 toneladas de resíduos por ano.

A Algar é a responsável pela receção, transferência, tratamento e valorização dos resíduos produzidos nos 16 concelhos do Algarve.

A empresa, com sede em Faro, integra o universo empresarial do Grupo Águas de Portugal.

Lusa

Pub