Pub

Foto © Luís Forra/Lusa
Foto © Luís Forra/Lusa

As micro, pequenas e médias empresas das zonas de baixa densidade algarvias vão ser convidadas a participar no projeto “Internacionalizar + Algarve”, que foi apresentado em Loulé e que pretende a cooperação empresarial e o apoio à internacionalização.

A iniciativa, liderada pela Universidade do Algarve e pela Associação Empresarial da Região do Algarve (NERA), dirige-se aos setores do turismo, do mar e agroalimentar e inclui um processo apoio e avaliação do potencial exportador das empresas destes territórios.

Em declarações à Lusa, o presidente do NERA, Vítor Neto, disse que um dos objetivos do programa passa por conseguir que as empresas trabalhem de forma integrada, ganhem massa crítica, para poderem afirmar os seus produtos e marcas de uma forma mais eficaz.

“A pulverização muitas vezes impede que as empresas se afirmem e avancem porque não têm dimensão, não têm capacidade de oferta e isso é um obstáculo grande ao seu desenvolvimento”, observou.

Os promotores contam com a colaboração da Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), oito municípios e a associações de desenvolvimento local que serão responsáveis pela apresentação e dinamização do projeto junto dos empresários destas zonas.

“Viva a internacionalização! O Algarve não pode ser só litoral”, afirmou o presidente da AMAL, Jorge Botelho, que vê no projeto a possibilidade de somar à internacionalização do litoral a internacionalização do interior.

Aquele responsável apontou que a despovoação do interior como um grande desafio e disse que é preciso “agarrar” ou recriar um conjunto de atividades tradicionais que esmoreceram, numa época em que os produtos importados estavam na moda, e que agora têm mercado.

Criar ou reforçar empresas, criar emprego, atenuar a sazonalidade turística e laboral e combater o despovoamento do interior algarvio são objetivos deste programa.

De acordo com as metas hoje apresentadas, os promotores esperam que até ao final do projeto sejam firmados, pelo menos, 15 novos contratos entre empresas localizadas em zonas de baixa densidade algarvias e empresas estrangeiras.

Com esse objetivo estão previstas duas ações exploratórias em quatro mercados-alvo, que ainda estão por determinar, promover o contacto com agentes estrangeiros e trazê-los à região para dar a conhecer a oferta existente.

O projeto inclui ainda um plano de comunicação, uma campanha de meios, um ‘site’ exclusivo, um guia de apoio à internacionalização para os empresários atuais e futuros e dois gabinetes de apoio à internacionalização localizados na sede do NERA, em Loulé, e na Universidade do Algarve.

Aprovado no âmbito de uma candidatura ao programa CRESC Algarve 2020 e com um financiamento na ordem dos 400 mil euros, o projeto “Internacionalizar + Algarve” vai estar em curso até dezembro de 2017.

Pub