Inicio | Economia | Algarve aprova redução de 50% no custo dos passes de transportes públicos

Algarve aprova redução de 50% no custo dos passes de transportes públicos

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) aprovou na sexta-feira a redução em 50% do custo dos passes de transportes públicos algarvios, medida que será aplicada “no mais tardar a partir de maio”, informou fonte do organismo.

Em comunicado, a entidade que reúne os 16 concelhos algarvios (distrito de Faro) adianta que o Plano de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos foi aprovado por unanimidade na reunião do Conselho Intermunicipal.

Esta redução, válida para autocarros e comboios, é conseguida através de verbas do Fundo Ambiental que, no caso da AMAL, representam este ano aproximadamente um milhão de euros, o que corresponde a 97,5% do montante global, sendo os restantes 2,5% provenientes dos municípios.

“Esta é mais uma medida da AMAL para aumentar a procura dos transportes públicos na região do Algarve e mais uma aposta em soluções amigas do ambiente”, lê-se no comunicado divulgado na sexta-feira.

A Comunidade Intermunicipal do Algarve “espera agora que a acompanhar esta medida seja também resolvida a carência de transportes públicos na região”, acrescenta.

O diploma com os valores e os termos do Programa de Apoio à Redução do Tarifário dos Transportes Públicos (PART), para incentivar o uso dos transportes coletivos nas cidades, foi publicado no Diário da República no início de fevereiro.

O diploma estabelece que as Áreas Metropolitanas de Lisboa (AML) e do Porto (AMP) e as 21 Comunidades Intermunicipais (CIM) recebam 104 milhões de euros do Fundo Ambiental, através do Orçamento do Estado, e comparticipem o programa com um total de 2,6 milhões.

O objetivo é que utilizem esta verba para criar soluções que alterem “padrões de mobilidade da população, com vista à redução de emissões nos transportes”.

As compensações financeiras do PART estão disponíveis em 01 de abril.

As 21 CIM vão receber um total de 23,2 milhões do PART e cada uma delas vai contribuir com 2,5% da verba que lhes for transferida pelo Estado.

Verifique também

Empresários algarvios reclamam falta de mão de obra em setores que vão sentir impacto da automatização

A destruição de 54 mil empregos no Algarve até 2030 devido à automatização é um …