Pub

CaravanasO Algarve vai ter uma rede organizada de acolhimento ao autocaravanismo, ao abrigo de uma estratégia regional para promover o setor, cujas regras ficaram hoje definidas num protocolo subscrito por quatro entidades.

O objetivo é melhorar o conforto e segurança dos autocaravanistas, aumentando o número de espaços apropriados (atualmente existem 12 com boas condições na região) e combatendo o estacionamento desregrado, nomeadamente em zonas de risco, como arribas ou dunas, explicou o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) do Algarve.

Em dois anos, o número de autocaravanas que passaram pelo Algarve mais do que duplicou, tendo sido contabilizadas 29 mil autocaravanas em 2014 – o que corresponde a cerca de 60 mil pessoas -, mais do dobro do que as 13 mil registadas em 2012, indicam números provisórios hoje divulgados pela CCDR/Algarve.

Segundo disse David Santos, presidente daquele organismo, a rede integrará apenas os parques de campismo e caravanismo e as áreas de serviço para autocaravanas que cumpram os requisitos exigidos e que, no Algarve, são ainda em número insuficiente para a procura.

Por isso, o protocolo – assinado pela CCDR, Comunidade Intermunicipal do Algarve, Região de Turismo do Algarve (RTA) e Associação de Turismo do Algarve (ATA) -, visa também que os parceiros desafiem entidades privadas a investirem na criação de infraestruturas do género.

No caso da RTA, o seu papel passará por criar uma área especializada para o setor no seu portal e produzir um desdobrável com um mapa da região e a localização das unidades da rede.

À ATA, entidade responsável pela promoção externa da região, caberá depois reproduzir o desdobrável em vários idiomas.

Lembrando que a época alta do caravanismo no Algarve decorre nos meses de inverno e primavera, David Santos sublinhou que o desenvolvimento do setor poderá ajudar a combater a sazonalidade característica do Algarve, classificando o setor como “uma das peças chave do desenvolvimento regional”.

No inverno passado, a maior parte dos autocaravanistas que passaram pela região eram de nacionalidade francesa, mas no verão os portugueses e espanhóis lideraram a procura, com um pico no mês de agosto.

A CCDR/Algarve divulgou, em 2008, um estudo sobre as potencialidades do autocaravanismo na região e o perfil dos autocaravanistas, ano desde o qual se encontra a trabalhar para lançar uma estratégia regional neste âmbito.

O financiamento das ações previstas no protocolo provém de uma candidatura ao Programa Operacional Regional do Algarve (PO Algarve 21), no valor de 17 mil euros, que serão investidos, na sua maioria, na produção do desdobrável com o mapa da rede.

Pub