Pub

"Nunca esteve previsto o encerramento de nenhum hospital no Algarve. O ministro da Saúde nunca me falou em fechar hospitais ou serviços, nem nunca deu nenhuma recomendação nesse sentido", assegurou ontem à agência Lusa Pedro Nunes, que ontem foi nomeado presidente do conselho de administração do CHA.

Para o novo administrador do CHA, "é um absurdo falar-se no fecho da unidade de saúde de Lagos ou de algum dos seus serviços", acrescentando que "o que aquele hospital necessita é de investimento para funcionar melhor".

O Centro Hospitalar do Algarve resulta da fusão dos centros hospitalares de Faro e de Portimão, por proposta da Administração Regional de Saúde do Algarve.

De acordo com Pedro Nunes, nas conversas mantidas com o ministro da Saúde Paulo Macedo, "foi analisado o que era preciso fazer no sentido de se arranjar dinheiro para melhorar e aumentar".

"Nunca se pôs a questão de fechar o que quer que seja. Está fora de causa o encerramento de qualquer unidade de saúde", sublinhou Pedro Nunes.

Segundo Pedro Nunes, na situação atual "os hospitais de Faro, Portimão e Lagos estão sub-orçamentados, precisam de mais investimento, mas não estão piores do que está o resto do país".

O conselho de administração do CHA, presidido pelo médico Pedro Nunes, que desempenhava as mesmas funções no Hospital de Faro, integra elementos dos hospitais de Faro e de Portimão, nomeadamente Gabriela Cartucho, Patrícia Ataíde, Graça Pereira, e José Fernando dos Santos.

Lusa

Pub