Inicio | Economia | Algarve quer aproveitar biomassa para rentabilizar floresta regional

Algarve quer aproveitar biomassa para rentabilizar floresta regional

BiomassaEntidades públicas, empresas e associações do Algarve formalizam hoje, em Loulé, a criação de um ‘cluster’ para incentivar a utilização do material resultante da limpeza da floresta para a produção de energia.

A biomassa pode ser um complemento “para aumentar a rentabilidade dos espaços florestais”, segundo António Miranda, técnico do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), instituição envolvida no projeto.

Segundo este técnico, o abandono dos espaços florestais portugueses deve-se, muitas vezes, à falta de rentabilidade e aos custos associados à sua manutenção, o que poderá ser revertido com a rentabilização da biomassa.

O ‘cluster’ da biomassa surge da necessidade de construir uma rede que envolva as vertentes comercial, económica e social e incentive uma gestão articulada entre os pequenos produtores florestais, dar-lhes escala e novas perspetivas de rentabilização do seu património.

O ICNF é parceiro do projeto Proforbiomed, que originou a criação do ‘cluster’, que, segundo António Miranda, caso tenha sucesso, pode ser replicado noutros pontos do país.

O Proforbiomed é um projeto de promoção de energias renováveis em áreas da bacia mediterrânica, envolvendo parceiros espanhóis, portugueses, italianos, gregos, eslovenos e franceses, através do desenvolvimento de uma estratégia integrada que envolva os principais atores da cadeia de produção de biomassa florestal.

“Todos juntos pretendem promover a utilização da biomassa residual florestal para a produção de energia”, promovendo o desenvolvimento da economia, a criação de novos empregos e a gestão florestal, disse Inês Duarte, da equipa do projeto Proforbiomed.

O projeto originou vários estudos que estão a ser apresentados no Instituto Superior D. Afonso III, em Loulé, com diferentes perspetivas de negócio a partir da biomassa florestal.

A extração de compostos com interesse para as indústrias farmacêutica, alimentar e cosmética, a extração de óleos essenciais e a produção de biocombustíveis sólidos são algumas das possibilidades contempladas nos estudos apresentados pelos investigadores do Proforbiomed.

Estes trabalhos apontam, ainda, para um impacto positivo na redução do risco de incêndio resultante de uma maior limpeza florestal.

A Algar, empresa responsável pela valorização e tratamento de Resíduos Sólidos no Algarve, também está envolvida no projeto e estuda as formas de utilização da biomassa.

Verifique também

Câmara Vila Real Santo António resolve contrato por incumprimento na construção de hotel

A Câmara de Vila Real de Santo António aprovou a resolução do contrato para a …

Folha do Domingo

GRÁTIS
BAIXAR