Pub

Segundo David Santos, aqueles 51 milhões de euros de ajudas comunitárias representam um investimento global na região de 87 milhões de euros e excedem em quatro milhões de euros o volume de incentivos previstos inicialmente.

Falando em Faro, durante a assinatura de protocolos para a preparação da programação financeira para o período 2014/2020, aquele responsável recordou que os três eixos previstos para o período anterior somaram 175 milhões de euros.

No que respeita aos dois eixos de investimentos públicos no âmbito do atual Programa Operacional Regional para o Algarve, todos os fundos já se encontram destinados, pelo que os 175 milhões de euros se encontram candidatados a 100 por cento.

Os protocolos hoje assinados implicam parcerias entre a CCDR/Algarve e a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL), Universidade do Algarve e sete associações empresariais algarvias.

Segundo o presidente da CCDR/Algarve, as parcerias permitirão a definição de uma estratégia de desenvolvimento regional e a preparação das negociações para o período de apoios comunitários entre os anos 2014 e 2020.

Nesse quadro, após a recolha das colaborações das várias entidades que hoje assinaram o protocolo, competirá à CCDR/Algarve elaborar o “Estudo de Enquadramento Estratégico” onde se inscreverá a estratégia da região para os próximos anos.

Ao longo da manhã de hoje, decorre na sede daquela Comissão de Coordenação um seminário sobre a “Estratégia 2020 e a sua Implementação a Nível Regional: Inovação e Emprego”.

Lusa

Pub