Inicio | Economia | Algarve reforça turismo de natureza criando marca para festivais de caminhadas

Algarve reforça turismo de natureza criando marca para festivais de caminhadas

O Turismo do Algarve lançou hoje a marca “Algarve Walking Season”, composta por três festivais de caminhadas a realizar na época baixa, em territórios do interior, para promover o turismo de natureza e esbater a sazonalidade, disse o vice-presidente.

A marca foi hoje apresentada em Alcoutim, onde arrancou a primeira das iniciativas do “Algarve Walking Season (AWS)”, o V Festival de Caminhadas de Alcoutim, que inicialmente esteve previsto para março, mas o mau tempo levou a organização a adiá-lo para o primeiro fim de semana de abril, disse João Fernandes, vice-presidente da Região de Turismo do Algarve (RTA).

João Fernandes explicou à agência Lusa, à margem da apresentação realizada hoje em Alcoutim, que a AWS “vem na sequência de uma estratégia definida em 2013 de aposta no turismo de natureza como um produto que gerasse uma motivação alternativa de visita à região”, distinta do sol, praia e do golfe, e vai também integrar o Ameixial Walking Festival (27 a 29 de abril) e o Festival de Caminhadas de Lagos (01 a 04 de novembro).

João Fernandes (E), vice-presidente da Região de Turismo do Algarve, e Osvaldo Gonçalves (D), presidente da Câmara de Alcoutim

“Definimos o walking [caminhadas] e o cycling [ciclismo] como dois grandes segmentos de aposta e dentro do segmento do ‘walking’, o trail urbano e as caminhadas. Para dar um reforço de notoriedade ao destino para essas práticas de contacto com a natureza, havia já no terreno duas iniciativas muito interessantes, o festival do Ameixial e o Festival de Caminhadas de Alcoutim, que procurámos apoiar, estimular e mais tarde criar sinergias, surgindo a ideia de criar um calendário de festivais de caminhadas no Algarve que acontecesse fora da época alta e no interior”, disse o responsável.

A mesma fonte acrescentou que foi depois lançada à Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental do Algarve (Almargem) para realizar um terceiro evento e dar à AWS “uma novidade que é o Festival de Caminhadas de Lagos, no interior desse concelho”.

“Com esta triologia conseguimos ter um calendário de festival de caminhadas ao longo de todo o ano”, referiu ainda João Fernandes, sublinhando que “cada um deles é um festival temático” que procura apoiar-se na identidade local, nas tradições e na gastronomia típica dos sítios”.

Júlio Cardoso, da organização do Festival de Caminhadas de Alcoutim, disse à Lusa que a Câmara municipal já organizava a iniciativa de “forma independente”, mas a AWS veio criar “uma oferta a longo do ano” e com iniciativas no inverno, na primavera e no outono.

O mau tempo que se fez sentir no início de março é que obrigou a organização a mudar a data para o início de abril, justificou Júlio Cardoso, frisando que, além dos percursos a andar, o festival “oferece experiências” aos participantes, porque têm possibilidade de realizar atividades ligadas à natureza e ao interior, como apicultura, pastoreio de cabras ou fazer pão”.

Anabela Santos, da Almargem, explicou que a ideia de criar um festival em Lagos surgiu porque já havia iniciativas no sotavento (Alcoutim) e no Algarve central (Ameixial, Loulé), e era bom cobrir também o barlavento, tendo a zona escolhida sido a da mata de Barão de São João, no interior desse concelho, em novembro.

Bruno Rodrigues, do festival do Ameixial, considerou que a AWS vai permitir promover melhor cada um destes festivais e permitir que “não se sobreponham e não façam concorrência uns aos outros”, estando previsto para a edição deste ano “mais atividades para a família”.

Verifique também

Empresa investe 60 milhões de euros para recuperar projeto imobiliário parado em Armação de Pêra

Uma empresa portuguesa vai investir 60 milhões de euros na recuperação de um projeto imobiliário …