Pub

O Sistema Móvel de Suporte ao Controlo Documental e de Recolha dos Dados Biométricos (SMILE) vai permitir a leitura de documentos para controlo de fronteiras e o suporte às acções de fiscalização e investigação com consulta às bases do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), Shengen e Interpol, declarou o ministro Rui Pereira.

O SMILE – um instrumento portátil e leve "made in" Portugal – permite também, o que é "um passo inovador e revolucionário, a recolha de dados biométricos quando não existem em documentos para detectar situações de imigração ilegal e de tráfico de pessoas", acrescentou o ministro da Administração Interna durante a visita que hoje realizou à direcção regional do Algarve do SEF.

O SMILE, que permite a leitura móvel de documentos e a transmissão dos dados desses documentos para todas as bases pertinentes à escala nacional e internacional, vai estar em fase de avaliação no Algarve entre 15 de Fevereiro e 15 de Março.

Se os resultados forem positivos, o projecto vai "estender-se a todos os postos de fronteira", garantiu Rui Pereira.

"Trata-se de mais um importantíssimo utensílio para dar mais segurança ao Algarve para lutar contra esses fenómenos criminais que a todos preocupa", disse Rui Pereira, recordando que o anúncio do SMILE no Algarve "honra uma tradição" de o Governo escolher sistematicamente a região como um "local de eleição para apresentação de projectos para segurança".

Abriu-se um centro de cooperação policial e aduaneira onde estão presentes autoridades policiais portuguesas e espanholas, implementou-se o projecto CIVIC para a defesa da costa marítima e o RAPID-Sistema de Reconhecimento Automático de Passageiros Identificados Documentalmente está a operar em todos os aeroportos internacionais portugueses e agora chega o SMILE, enumerou o ministro.

Residentes estrangeiros sem domínio da língua portuguesa, com mais de 50 anos e a habitar casas isoladas de luxo no concelho de Loulé são características das vítimas e habitações alvo dos assaltos violentos praticados recentemente no Algarve.

Os estrangeiros assaltados até ao momento eram de nacionalidade britânica, alemã e suíça.

Segundo dados do SEF, Loulé é dos 16 concelhos algarvios que mais residentes estrangeiros tem – "13 mil estrangeiros, nomeadamente de comunidade romena" -, embora Albufeira, com 10 mil, e Portimão, com 11 mil, sejam outros concelhos que se destacam.

O MAI vai também lançar o "SEF vai à Escola", que é uma extensão do "SEF em Movimento", destinado a legalizar crianças que se encontram em idade escolar, anunciou o ministro Rui Pereira.

O SEF no Algarve é constituído por 129 funcionários, estando 90 elementos integrados na carreira de investigação e fiscalização.

Pub