Pub

O aviso laranja é o segundo mais grave na escala do IPMA, e implica uma situação meteorológica de risco moderado a elevado, pelo que se recomenda a manutenção ao corrente das condições meteorológicas e seguir as orientações da Proteção Civil.

Também a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) aconselhou os cidadãos a adotarem medidas de precaução nas estradas e a garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento de águas devido à previsão de mau tempo para as próximas 48 horas.

Na sequência do aviso, que prevê um agravamento do estado do tempo nas próximas 48 horas com ventos fortes, chuva e agitação marítima, a ANPC chama a atenção para os efeitos expectáveis da situação meteorológica como lençóis de água, piso escorregadio e possibilidade de cheias rápidas nas zonas urbanas, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem.

O mau tempo pode também provocar “inundação por transbordo de linhas de água nas zonas históricas mais vulneráveis, danos em estruturas montadas ou suspensas, acidentes na orla costeira e inundações em estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem”.

A ANPC refere, na sua página na Internet, que o eventual impacto dos efeitos do mau tempo pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados.

Para precaver situações graves, a ANPC aconselha os cidadãos a garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas e garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente andaimes, placards e outras estruturas suspensas.

No que diz respeito à condução, a ANPC recomenda aos automobilistas que adotem uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água nas vias, não atravessar zonas inundadas, de modo precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas, ter cuidado na circulação junto a orla costeira e zonas ribeirinhas e não praticar atividades relacionadas com o mar.

A ANPC recomenda também que as pessoas estejam atentas às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
Redação com Lusa

Pub