Pub

A proposta de oração ininterrupta, durante um ano, pelo Seminário e pelas vocações sacerdotais na Diocese do Algarve foi apresentada pelo pároco de Albufeira na última reunião do clero das paróquias que constituem a vigararia de Loulé, realizada o mês passado.

A iniciativa consiste na oração diária do terço ao longo deste ano e teve início no passado sábado, 1 de janeiro, às 0h.

O padre Flávio Martins explica que a “sugestão”, feita “depois de muito rezar e refletir”, “exige alguns sacrifícios, mas é pelo bem de toda a Igreja”. “A sugestão é simples e pode ser feita pessoalmente ou em família, em casa ou na Igreja, a caminhar ou num lugar”, sustenta, acrescentando que “a oração pelas vocações é um ministério de todos os batizados” e a resposta à prescrição de Jesus: “pedi ao Senhor da Messe que envie operários para a Sua messe”.

“A falta de vocações sacerdotais e religiosas é uma realidade da nossa Diocese e, infelizmente, de toda a Igreja. Uma preocupação manifestada, por diversas vezes, pelo Bispo da nossa Diocese e pelo Reitor do nosso Seminário”, prossegue.

A iniciativa, pensada para ser de índole vicarial, está, no entanto, aberta à participação de todas as pessoas que entendam a ela aderir, independentemente da sua origem. Basta que para isso enviem para o email tercopeloseminario@gmail.com a indicação com o nome e a hora que se disponibilizam assegurar.

Ontem à noite, à hora do envio da informação para o jornal Folha do Domingo, a escala da cadeia de oração para o presente mês de janeiro já estava quase completa. “O mês de janeiro será a primeira experiência, com o desejo de continuar nos meses seguintes” de 2022, explica a organização, acrescentando que neste momento, “80% das inscrições que garantem este tempo de oração são da paróquia de Albufeira”.

Pub