Breves
Inicio | Igreja | Algarvios participaram em Madrid no Encontro Europeu de jovens promovido pela Comunidade de Taizé

Algarvios participaram em Madrid no Encontro Europeu de jovens promovido pela Comunidade de Taizé

Foram 43 os algarvios que participaram no 41º Encontro Europeu de jovens promovido pela Comunidade Ecuménica de Taizé, que decorreu em Madrid (Espanha) de 28 de dezembro a 1 de janeiro.

O grupo, com alguns adultos, era composto por elementos da comunidade de São Paulo (Patacão) da paróquia de São Pedro de Faro (29) e das paróquias de São Luís (7) e da Sé (2) da mesma cidade, de Ferreiras (2), Estômbar (1), Ferragudo (1) e Fuseta (1).

Os algarvios integraram o contingente português de cerca de 600 elementos no encontro, com grupos de várias dioceses – o triplo do que havia participado encontro europeu do ano passado, em Basileia (Suíça) – e ficaram quase todos alojados nas paróquias de São Leopoldo, de Nossa Senhora do Sagrado Coração e do Sagrado Coração de Jesus, alguns deles em casas de famílias.

No total foram cerca de 15 mil os jovens de vários países, acolhidos por 170 paróquias e milhares de famílias que lhes abriram as portas, que passaram o ano com momentos de festa e oração na capital espanhola e que regressaram a casa com uma mensagem de valorização da fé e da hospitalidade.

Aquele encontro promovido há mais de 40 anos pela Comunidade Ecuménica de Taizé, no sul da França, que faz parte da “peregrinação de confiança através da terra”, contou com momentos de oração nas paróquias da cidade de acolhimento e reflexão em temas como o diálogo entre povos, a paz, a fé e o compromisso social.

Depois da oração da manhã nas paróquias e da partilha das propostas do irmão Alois em pequenos grupos, os participantes partiam para as igrejas do centro da capital espanhola que acolhiam os encontros de oração comum ao meio-dia. Os algarvios congregaram-se na catedral de Almudena. Depois do almoço recebido na noite anterior, comido sentados numa qualquer rua, a tarde podia ser de participação em workshops diversos. Depois do jantar e do almoço do dia seguinte servidos ao final da tarde, participavam na oração comunitária no espaço da Feira de Madrid (IFMA). Ao longo daqueles dias, participaram ainda no encontro dos portugueses que decorreu na paróquia de São Isidoro e São Pedro Claver com testemunhos de jovens que realizaram diversas experiências de missão.

No encontro, que teve como tema proposto pelo prior da Comunidade Ecuménica de Taizé “Não esqueçamos a hospitalidade”, que intitulou o seu texto escrito para aquela iniciativa, o irmão Alois destacou a importância das novas gerações contribuírem para a construção de “um futuro marcado pela cooperação e não pela competição”.

Aquele responsável lembrou que se é verdade que cada pessoa é “diferente”, a identidade de cada um “constrói-se” na relação “com os outros”.

Para o irmão Alois, construir uma sociedade de cooperação e não de competição pressupõe ter a capacidade de “acolher o outro”, respeitando os seus “limites”, em vez de ver na diferença um “pretexto para nos fecharmos, cedendo ao medo do outro”.

Em entrevista à Agência Ecclesia, o prior da comunidade monástica francesa defendeu ser necessária uma globalização mais “humana”, que supere a fixação na vertente económica e financeira. “Não partilhamos verdadeiramente as nossas culturas, não ouvimos realmente os outros. Só queremos vencer, neste mundo globalizado, queremos ganhar alguma coisa, mas não descobrimos a riqueza dos outros”, referiu o irmão Alois.

Na sua última reflexão no encontro madrileno disse ser necessário rezar “pela paz e pela justiça, pois não existem uma sem a outra”, e trabalhar para “diminuir o abismo entre ricos e pobres”. Aquele responsável destacou a “urgência” do acolhimento de imigrantes e refugiados, procurando oferecer-lhes “mais segurança e justiça”.

O irmão Alois manifestou ainda preocupação com a degradação do meio ambiente e a exploração dos recursos naturais, “pelas diferentes formas de poluição e pela perda de biodiversidade”.

“Estes três compromissos, entre outros possíveis, são muito mais do que um imperativo moral. Se os levarmos a sério, e a eles nos dedicarmos, a nossa própria vida pode encontrar um sentido”, disse aos participantes do encontro que contou também com uma vigília de oração pela paz no mundo, seguida de uma “festa dos povos” nas paróquias de acolhimento dos participantes.

O próximo Encontro Europeu de Jovens decorrerá na cidade polaca de Wroclaw, no final deste ano.

A Comunidade Ecuménica de Taizé foi fundada em 1940, em plena Segunda Guerra Mundial, pelo falecido irmão Roger Schutz com o propósito de “reunir homens que sentissem a necessidade de juntos fazerem comunhão e viverem em paz uma vida simples, partilhando o trabalho e as reflexões das Sagradas Escrituras, caminhando em comunidade à descoberta de Deus revelado aos homens por Jesus Cristo”. Hoje é constituída por mais de 100 irmãos, de várias nacionalidades e igrejas cristãs, incluindo a católica, recebendo semanalmente a visita de milhares de jovens.

com Ecclesia

Verifique também

Tavira participou em festa na “missa nova” do padre António Moitinho de Almeida

As paróquias de Tavira reuniram-se ontem, em festa, para celebrar a recente ordenação do padre …