Pub

Estiveram presentes cerca de 1000 pessoas provenientes de todas as partes do país e ainda uma representação oriunda de França e dos Estados Unidos, com especial destaque para Peter Colosi que apresentou uma conferência na Universidade Católica no dia 21 sobre Educação Sexual e Teologia do Corpo.

No final, num palco montado para o efeito, foram ouvidos testemunhos de voluntários, casais que optaram por não abortar, pessoas desempregadas e ainda responsáveis por vários movimentos e associações de apoio à grávida, entre os quais da própria Plataforma Algarve pela Vida.

“A caminhada foi organizada de acordo com as várias etapas da vida, destacando a importância da valorização da vida, com os seus momentos bons e maus, tal como no casamento, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza ou na pobreza, sempre desde o momento da conceção, passando pela infância, adolescência, idade adulta até, por fim, à terceira idade”, explicam os participantes algarvios.

Entre a multidão presente contava-se os economistas João César das Neves e Pedro Vassalo e também Fernando Ribeiro e Castro, presidente da APFN – Associação Portuguesa das Famílias Numerosas, Manuel Braga da Cruz, reitor da Universidade Católica Portuguesa e Isabel de Herédia, entre muitos outros.

Este evento foi sentido pelos seus participantes, e em particular, pelos que estão envolvidos em obras de ação social a favor da vida nascente como uma “motivação extra para o trabalho” que, todos os dias, é desenvolvido nesta área.

Após a breve atuação de uma banda convidada, a organização terminou o evento anunciando que, no próximo ano, haverá uma nova edição desta Caminhada pela Vida que, desta forma, se pretende afirmar como um alerta num país que está entre os que contam com os piores índices demográficos mundiais.

Pub