Pub

Os trabalhadores da Cooperativa de Produtos Alimentares (Alicoop) decidiram hoje manifestar-se terça feira, 09, em Lisboa junto à sede da Caixa Geral de Depósitos (CGD), para que aquele banco inverta a posição de boicote à viabilização da empresa. A decisão foi tomada hoje na sede da Alicoop, em Silves, após uma reunião entre a Comissão de trabalhadores da cadeia de supermercados, representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP) e com a administração do grupo.

Para a Câmara de Silves o não apoio às medidas de recuperação da Aliccop "terá um impacto negativo à escala regional, lançando no desemprego muitos silvenses e algarvios, que durante anos tiveram na Alicoop o seu ganha-pão diário".

Num comunicado enviado hoje à Agência Lusa, a Câmara de Silves diz defender que os esforços que se possam desenvolver serão de "extrema importância para a manutenção das empresas em funcionamento, bem como para a preservação de empregos de mais de 500 famílias".

A Câmara Municipal de Silves, em nota de imprensa, apela ainda ao bom senso e à necessidade de se encontrarem medidas urgentes, que contribuam para a boa resolução desta situação, permitindo a sustentabilidade da empresa e a manutenção destes postos de trabalho".

O grupo Alicoop, em insolvência desde agosto, acumula dívidas de cerca de 80 milhões de euros, 20 milhões dos quais a fornecedores, e se o plano de viabilização do grupo não se realizar estão em causa mais de 500 postos de trabalho.

A Concelhia de Silves do PCP também pediu hoje ao Governo "medidas" para combater "o risco de desemprego de 650 trabalhadores da cadeia de supermercados do Algarve, a Alisuper".

O PCP não "entende e não aceita que a Caixa Geral de Depósitos, pela sua natureza e estatuto, tenha uma atitude de inviabilização da empresa, ou seja, uma atitude que, a manter-se, somará desemprego ao desemprego, lê-se numa nota de imprensa enviada hoje à Lusa da Concelhia do PCP de Silves.

Também a União dos Sindicatos do Algarve, manifestou hoje uma "profunda preocupação com os entraves que se vêm registando ao processo de viabilização da empresa Alicoop, que engloba entre outras as empresas Alisuper, Macral e Geneco.

Em comunicado de imprensa, a União dos Sindicatos do Algarve esteve a acompanhar o Plenário de Trabalhadores, que se realizou hoje de manhã em Silves, na sede da empresa, e vai acompanhar os representantes dos trabalhadores numa reunião com a Governadora Civil de Faro, Isilda Gomes, agendada para as 16:30.

Pub