Pub

O diretor de comunicação e relações institucionais da BP, Luís Roberto, explicou que “ainda morrem nas nossas estradas qualquer coisa como 700 pessoas por ano. (…) estamos a falar em duas mortes por dia e em três acidentes por hora”.

Segundo os dados revelados pelo último relatório de sinistralidade da autoridade nacional de segurança rodoviária, os jovens entre os 18 e os 24 anos são o grupo etário que mais depressa conduz e com o mais elevado índice de sinistralidade rodoviária.

Assim, a ação de prevenção destina-se a jovens entre os 14 e os 17 anos, para que adotem “outro tipo de atitudes e comportamentos ao volante”: “Estes são os nossos futuros condutores e este programa tem como missão alertá-los para os principais perigos na estrada e as causas dos acidentes”, declarou Miguel Barbosa, piloto de todo-o-terreno que se associou à iniciativa.

Para além da criação do anúncio publicitário, os alunos estiveram também envolvidos numa oficina sobre boas práticas de condução e numa experiência com o simulador de capotamento: “eles não estão aqui só a ouvir as estatísticas e lenga-lengas do costume, veem um filme que os choca mas daqui a pouco já estão noutra, (…) há que envolvê-los”, concluiu o piloto.

Rúben Oliveira com Lusa
Pub