Pub

O ano 2012-2013, de arranque do novo quinquénio pastoral da Igreja algarvia, sob o lema “Chamados à Fé – Tende confiança!” (cf Jo 16,33), será então inspirado num trecho da constituição Lumen Gentium (LG), uma das quatro constituições saídas do Concílio Vaticano II: “a todo o discípulo de Cristo incumbe o encargo de difundir a fé” (LG 17).

No novo Programa Pastoral, ao qual FOLHA DO DOMINGO teve acesso, a Igreja algarvia explica a importância de aproveitar o dinamismo do Ano da Fé. “Trata-se de um acontecimento que, em comunhão com toda a Igreja, nos vai permitir nele inspirar a nossa ação pastoral”, refere o documento.

A diocese algarvia pretende ainda “acolher o alerta deixado a toda a Igreja” pelo Papa no seu discurso aos membros da Cúria romana em dezembro do ano passado, no qual Bento XVI constatava “como as pessoas que frequentam regularmente a Igreja se vão tornando sempre mais idosas e o seu número diminui continuamente”, assim como uma “estagnação nas vocações ao sacerdócio” e o crescimento do “ceticismo” e da “descrença” e advertia que “o cerne da crise da Igreja na Europa, é a crise da fé”. “Se não encontrarmos uma resposta para esta crise, ou seja, se a fé não ganhar de novo vitalidade, tornando-se uma convicção profunda e uma força real graças ao encontro com Jesus Cristo, permanecerão ineficazes todas as outras reformas”, advertia o sumo pontífice da Igreja católica.

Tendo presente quanto sugeriu a Congregação para a Doutrina da Fé para a celebração do Ano da Fé, assim como a reflexão e partilha do Conselho Pastoral da Diocese do Algarve para a elaboração do novo Programa Pastoral, a Igreja algarvia apresenta diversas propostas a nível diocesano, vicarial e paroquial para a vivência do ano 2012-2013.

Ao nível da diocese, no seu todo, propõe-se a realização da Jornada Bíblica sobre São João, promovida pelo CEFLA – Centro de Estudos e Formação de Leigos do Algarve; a celebração do Dia Diocesano do Catequista, centrado no tema “o Catecismo da Igreja Católica (CIC) na pastoral ordinária”, promovido pelo Secretariado da Catequese da Diocese do Algarve; a celebração da abertura do Ano Pastoral e do Ano da Fé, na Sé de Faro (no dia 14 de Outubro deste ano); e a disponibilização de subsídios para dar continuidade à Lectio Divina (forma aprofundada de oração, a partir da leitura da Bíblia, que exige disponibilidade de tempo e de espírito).

Nas vigararias (circunscrição eclesiástica da qual fazem parte várias paróquias ou quase paróquias), propõe-se “instituir uma Escola de Leigos vicarial para agentes da pastoral, que proporcione uma formação sobre o Catecismo da Igreja Católica e os documentos conciliares”; e “promover debates, no âmbito da disciplina de EMRC – Educação Moral e Religiosa Católica sobre os temas mais colocados pelos jovens e relacionados com a fé”, a realizar pelo Secretariado da Pastoral Escolar.

Nas paróquias propõe-se “promover encontros de formação, abertos a toda a comunidade, nos tempos litúrgicos mais significativos (Advento, Quaresma, Páscoa), em ordem à revitalização da fé, ao encontro pessoal com Cristo”; “continuar a privilegiar a dimensão espiritual nas propostas formativas, a partir Lectio Divina e dos documentos da Igreja (Concílio, CIC)”; “valorizar, como momentos formativos no despertar e aprofundamento da fé: o envolvimento das famílias no processo ou durante a catequese dos filhos; a apresentação de um ano-síntese da fé, na preparação dos jovens para o Crisma, após o itinerário catequético habitual (Youcat e/ou outros subsídios); a explicação do Credo, de forma gradual e progressiva, como sequência da homilia na Eucaristia dominical; a celebração e dignificação das exéquias, como expressão da fé na vida eterna e instrumento da Nova Evangelização; as diversas expressões de religiosidade popular, no espírito do Ano da Fé; e a presença da comunidade paroquial nas «periferias», através da preparação de equipas organizadas de envolvimento e mobilização e a promoção de iniciativas de primeiro anúncio”.

Propõe-se ainda nas paróquias “implementar novos ministérios na comunidade ao serviço dos vários setores da pastoral (catequética, vocacional, juvenil, familiar, universitária, cultural, social, saúde…), tendo como sua expressão colegial privilegiada o Conselho Pastoral Paroquial, a constituir onde não exista”; e “repensar e valorizar as estruturas de acolhimento e de proximidade para com todos, particularmente os que vivem uma situação matrimonial irregular”.

O novo Programa Pastoral da Diocese do Algarve será lançado e apresentado no dia 14 do próximo mês de outubro, pelas 15h, na Sé de Faro, no contexto da Assembleia Diocesana que ali terá lugar.

Samuel Mendonça
Pub