Pub

A iniciativa, que contou com a participação total de 62 pessoas (incluindo esposas e filhos dos ex-seminaristas), realizou-se no âmbito das celebrações do Dia de São José, patrono do Seminário de Faro, que ocorre amanhã, dia 19.

O encontro realizou-se no próprio Seminário de São José e teve início logo de manhã com a celebração da eucaristia presidida pelo bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, na capela da instituição, seguindo-se depois a sessão de apresentações e um peddy-paper por grupos pela cidade de Faro que teve início na igreja do Carmo e terminou no Largo da Sé.

À tarde, após o almoço no refeitório do Seminário de São José, houve um convívio cultural no qual foi novamente abordado o livro do antigo aluno Vitor Coelho, publicado no final de 2010 e intitulado “A Ciência à procura de Deus – Ecologia e Espiritualidade”. A tarde cultural contou ainda com a atuação do Grupo Musical de Santa Maria e terminou com um lanche com produtos regionais, trazidos pelos antigos alunos e familiares.

Os ex-seminaristas presentes foram alunos do Seminário de Faro de 1940 a 1999, mas a esmagadora maioria frequentou a instituição nas décadas de 50 e 60, época particularmente fértil no que respeita às vocações ao sacerdócio, em que o Seminário do Algarve acolhia cerca de meia centena de seminaristas por ano. “Foi uma época em que o então bispo do Algarve, D. Francisco Rendeiro, implementou uma grande sensibilização vocacional no norte do país, realizada por padres do Seminário de Faro, sobretudo na Diocese da Guarda. Foi assim que muitos jovens vieram para a instituição”, explicou à FOLHA DO DOMINGO o cónego José Pedro Martins, atual reitor da instituição.

“O contexto sociocultural do país e a educação cristã garantida na altura pela família, era o que levava os jovens a entrarem no Seminário”, asseguram António Brás e José Álvaro, dois membros da Comissão dos Antigos Alunos do Seminário de Faro. Por outro lado, reconhecem que a entrada dos filhos no Seminário era “garantia de educação” para a maioria das famílias que não tinha recursos para pagar os seus estudos.

Na sua maioria já aposentados, estes ex-seminaristas abraçaram as mais diversas profissões durante a sua vida profissional, seguindo cada um o seu caminho. Alguns foram funcionários públicos, diretores hoteleiros, bancários, juristas, psicólogos ou professores. Outros emigraram para países estrangeiros em busca de melhores condições de vida. No entanto, a passagem pelo Seminário de Faro permanece nas suas vidas como um marco indelével que todos os anos fazem questão de celebrar em conjunto.

Ainda no âmbito das comemorações do dia do seu patrono, o Seminário de Faro está, esta manhã, a acolher o Encontro de Seminaristas, Pré-seminaristas e suas famílias e amanhã o Encontro de Sacerdotes.

Samuel Mendonça

Veja aqui mais fotos do encontro

Pub