Pub

D. Manuel Quintas, que falava à margem da Jornada da Igreja Diocesana que teve lugar em Silves, explicou que a Diocese do Algarve quer, no que respeita à rádio diocesana, “dar o passo seguinte, sem o padre Arsénio”.

O sacerdote, falecido no passado dia 14 de maio, foi um dos principais impulsionadores da Rádio Costa D’Oiro, sedeada em Portimão. Desde cedo grande entusiasta dos meios radiofónicos, o padre Arsénio da Silva colaborava com rádios locais em Portimão (algumas rádios pirata) quando, em Setembro de 1994, surgiu a hipótese de comprar o alvará da estação de rádio, propriedade do jornal Barlavento. O sacerdote jesuíta avançou então, junto do bispo do Algarve da altura – D. Manuel Madureira Dias – com a proposta de ser a diocese algarvia a adquirir a emissora, conjuntamente com quatro paróquias do barlavento algarvio.

D. Manuel Quintas afirmou que, tendo presente “carisma e dedicação” do padre Arsénio Silva àquela rádio, é preciso “avançar um pouco mais”. É um instrumento que queremos valorizar e aproveitar para realizar a nossa missão como Igreja Diocesana do Algarve”, sustentou.

Samuel Mendonça
Pub