Pub
© Mira/CML
© Mira/CML

A Associação dos Armadores e Pescadores de Quarteira (Quarpesca) entregou a semana passada a profissionais do setor mais de 30 balsas de salvamento e três dispositivos de localização para reforçar a segurança a bordo das embarcações, em caso de acidente.

Em declarações à Lusa, à margem da cerimónia de atribuição dos meios de salvamento, o presidente da Quarpesca disse que as balsas (ou jangadas) foram atribuídas, na sua maioria, aos armadores dos navios maiores, com mais de dez metros, que se dedicam à pesca do cerco, pesca com redes, entre outras artes de pesca.

Sublinhando que as balsas pequenas têm capacidade para levar mais de seis pessoas, Hugo Martins lembrou a importância de dotar as embarcações com meios de prevenção de acidentes, como os dispositivos de localização pessoal (PLB), dotados de GPS, também entregues, e que permitem localizar a embarcação a partir de terra.

“Os acidentes no mar são cada vez mais frequentes e o único remédio é estarmos preparados, apetrechando as embarcações com o equipamento mais moderno possível, o que pode ajudar a salvar vidas”, sublinhou.

Em dezembro passado houve dois naufrágios de embarcações dentro do porto de Quarteira, sem causar vítimas, mas em Olhão, no último ano, já morreram pelo menos três pescadores em naufrágios ocorridos ao largo das ilhas da Armona e da Fuseta.

A atribuição dos meios de salvamento resulta de uma candidatura ao Programa Operacional de Pescas (Promar), que financiou em 90% os custos da aquisição dos equipamentos, que rondou os 90 mil euros.

Segundo Hugo Martins, a candidatura, aprovada em finais de 2014, foi um processo “com muitos avanços e recuos”, que durou dois anos, iniciado pela anterior direção da associação.

A Quarpesca tem 140 associados, mas o número de profissionais da pesca em Quarteira deverá ascender aos 300, estimou.

Pub