Pub

Em causa está a alegada utilização de falsos recibos verdes na Secção de Conferência de Faturas de Farmácias da ARS/Algarve, cujos trabalhadores não recebem desde janeiro, denunciou hoje o PSD/Algarve em comunicado.

Contudo, segundo o PSD, para tentar diminuir os trabalhadores a recibos verdes na Administração Pública foi “imposta” aos funcionários “a obrigação de se constituírem como sociedades unipessoais para manterem o seu posto de trabalho”.

Como os funcionários não o fizeram, a solução encontrada pela ARS foi a de contratar os funcionários através de uma empresa, mas, em fevereiro de 2010, cinco desses elementos foram “despedidos”, segundo o PSD.

Em comunicado enviado à agência Lusa, fonte do Conselho Diretivo da ARS, confirma ter contratado a empresa New Link, Consultadoria e Engenharia, SA para realizar o trabalho de conferência de faturas, em regime de tarefa.

A ARS diz ter tomado conhecimento da situação laboral dos trabalhadores da empresa e que está a “desenvolver contactos com as partes envolvidas” tendo em vista a “obtenção de um acordo que permita ultrapassar as divergências surgidas”.

Lusa

Pub