Breves
Inicio | Cultura | Artista francesa propõe travessia de vale em cabo suspenso a 30 metros

Artista francesa propõe travessia de vale em cabo suspenso a 30 metros

A artista francesa de funambulismo Tatiana Bongonga vai apresentar o espetáculo “Traversée”, no dia 21 de abril, em Aljezur, que consiste na travessia de um vale através de um cabo de 150 metros, suspenso a 30 metros de altura.

“É um espetáculo inédito no Algarve, onde a artista vai atravessar um vale perto da praia da Amoreira, no concelho de Aljezur, num cabo de 150 metros de comprimento, tensionado por 40 pessoas e sem qualquer suporte”, disse um dos promotores do evento.

O funambulismo é uma arte circense que consiste em manter o equilíbrio ao caminhar, saltar ou fazer acrobacias sobre uma corda bamba ou um cabo metálico, esticados entre dois pontos de apoio.

Em declarações à agência Lusa, Giacomo Scalisi, diretor artístico do projeto Lavrar o Mar, promotor do espetáculo, indicou que “a travessia é o culminar de uma residência artística com a artista francesa que decorre durante duas semanas em Monchique e Aljezur”.

“É uma residência aberta a todas as idades, onde as pessoas experimentam a técnica do funambulismo, através da qual podem encontrar o próprio equilíbrio entre o corpo e a mente, tão necessário ao dia a dia”, sublinhou o responsável.

Segundo Giacomo Scalisi, “o cabo que será o chão da artista ao longo de 150 metros, será tensionado por 40 pessoas, as quais participaram na residência artística, de forma a sentirem a tensão e a vibração da artista”.

“Além da envolvência dos participantes da residência artística, haverá um acompanhamento musical assegurado por uma banda composta por vários músicos locais e outros da companhia”, destacou.

Tatiana-Mosio Bongonga iniciou-se na técnica do funambulismo aos sete anos, sendo atualmente uma das poucas mulheres a praticar aquela arte circense.

O espetáculo “Traversée” está agendado para o dia 21 de abril, pelas 16:30, terá a duração aproximada de uma hora e meia, tendo os bilhetes um preço único de cinco euros, sendo grátis para as crianças até aos 6 anos.

Integrado na programação cultural em época baixa nos territórios de Monchique e de Aljezur, o projeto Lavrar o Mar está inserido no Programa 365 Algarve, cujo financiamento é assegurado pelas secretarias de Estado da Cultura e do Turismo, Direção Geral das Artes, Região de Turismo do Algarve, Turismo de Portugal e pelos municípios algarvios de Aljezur e de Monchique.

Verifique também

Arrancam em agosto escavações arqueológicas na cidade romana de Balsa, em Tavira

A antiga cidade romana de Balsa, no concelho de Tavira, vai ser alvo de uma …