Pub

A Assembleia Intermunicipal do Algarve informou hoje que aprovou por maioria uma moção a exigir a conclusão da requalificação da Estrada Nacional (EN) 125 e alertou o Governo para o aumento da insegurança dos automobilistas.

Em comunicado, o órgão refere que a moção, proposta pela CDU e aprovada por maioria na passada quinta-feira, vai ser enviada para a Presidência do Conselho de Ministros, a Assembleia da República e as assembleias municipais do Algarve.

A moção alerta o Governo para a degradação crescente daquela via, causada por uma sobrecarga de utilizadores que querem escapar às portagens na Via do Infante (A22), o que, indica a assembleia intermunicipal, aumenta a insegurança a perigosidade da estrada e dos automobilistas.

Segundo a assembleia, o Governo tinha adiantado em junho do ano passado que a conclusão da requalificação da EN125 e da ligação a São Brás de Alportel estava prevista para abril, mas desde há um ano que as obras se encontram suspensas.

"Estamos perante mais um ato, de promessa de mau pagador, com tudo aquilo que tal procedimento carrega de negativo para o desenvolvimento económico e social de uma região onde o desemprego atinge a taxa mais alta do país, com cerca de 70 mil desempregados", lê-se na moção.

No texto, a assembleia refere ainda que a EN125 não é uma via de comunicação rápida nem segura, necessidade urgente para o desenvolvimento económico do Algarve e para a segurança para os utentes.

"A EN125, como se sabe, nunca teve e continua a não ter esses predicados, muito menos os tem presentemente, pelo facto de para aí ter sido empurrado o trânsito proveniente da Via do Infante", sublinham.

O contrato de subconcessão Algarve Litoral, atribuído em 2009 pela empresa Estradas de Portugal à empresa Rotas do Algarve Litoral, compreendia a requalificação e exploração de 273 quilómetros de vias rodoviárias.

Estimava-se, na altura, que a requalificação da EN125 estivesse concluída em 2012, mas as obras foram suspensas há um ano.

No último trimestre de 2012, a A22, que começou a ser portajada a 08 de dezembro de 2011, registou uma descida de tráfego na ordem dos 44,4%.

Lusa

Pub