Pub

Ajudar jovens empreendedores a fazer uma análise prévia de negócio para poderem abrir empresas e instalarem-se no mercado é o objetivo do projeto “Algarve Empreendedor”, que a Associação de Comércio e Serviços da Região do Algarve (ACRAL) apresentou no passado dia 3 deste mês em Faro.

O projeto “Algarve Empreendedor” surgiu de uma candidatura da ACRAL a fundos comunitários no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Promoção do Espírito Empresarial do Programa Operacional do Algarve “CRESC Algarve2020” e vai, segundo o presidente da ACRAL, Álvaro Veigas, apoiar 25 jovens empreendedores com bolsas entre os 700 e os 1.200 euros para poderem fazer esse trabalho.

O projeto, apresentado no Campus da Penha da Universidade do Algarve (UAlg), destina-se a “apoiar 25 bolsas para a criação de novas empresas” para “proporcionar a 15 jovens licenciados, sete mestres e três doutorados bolsas” para que “durante seis meses possam desenvolver uma ideia de empresa”, explicou Álvaro Viegas, em declarações à agência Lusa.

“Quando digo que é para criar empresa, não é exatamente para a criar do ponto de vista legal, formal, ou para investir num escritório ou em material. Não é isso, o que se pretende com esta bolsa é que, alguém que tem uma ideia, possa durante seis meses desenvolvê-la, fazer os estudos de mercado, a avaliação financeira, estudar a localização, a concorrência”, precisou o presidente da ACRAL.

Este trabalho vai permitir, segundo o dirigente associativo, “estudar até que tipo de negócio quer” e fazer “uma preparação prévia à formalização da própria empresa”, acrescentou.

Álvaro Veigas justificou a necessidade de apoiar este trabalho prévio com os dados que a ACRAL tem e que demonstram que, “por vezes, é esse período que falta” aos jovens que apostam em negócios e levam “a que uma grande parte das empresas encerrem nos primeiros três anos”.

“Porque um jovem quer aventurar-se nos negócios, mas por vezes tem pouca informação, não estudou o suficiente porque não teve o tempo para analisar durante alguns meses estas questões e toma decisões erradas. E, por vezes, basta que haja uma decisão errada, como a localização, para que uma boa ideia possa, passado pouco tempo, morrer”, considerou o presidente da ACRAL.

Álvaro Viegas também disse que o projeto “Algarve Empreendedor” vai ser “transversal, apesar de a ACRAL ser uma associação de comércio”, e as candidaturas “irão ser selecionadas consoante o seu mérito, independentemente da área de negócio”.

Pub