Pub

A USF Ria Formosa assegura, para além do atendimento básico, assistência às mulheres grávidas e crianças do concelho que não tenham médico de família, disse o secretário de Estado adjunto e da Saúde.

À margem da cerimónia, Manuel Pizarro disse que a nova estrutura – com dois pólos, um no centro da cidade de Faro e outro nos arredores, no Montenegro – tem uma carteira de 12 mil utentes.

Com a abertura desta USF – a nona abrir no Algarve -, passaram a ser 100 mil os utentes abrangidos, 20 mil dos quais não tinham ainda médico de família, sublinhou o governante aos jornalistas.

De acordo com o médico Milheiros Rodrigues, diretor da USF Ria Formosa, há um ano que o grupo que formou a unidade já vinha assegurando consultas a mulheres grávidas sem médico de família.

Segundo aquele responsável, no ano passado foram atendidas 800 mulheres grávidas, muitas das quais imigrantes e que por isso não falavam português, dificuldades que a equipa tenta contornar.

Além disso, além também são dadas consultas de planeamento familiar e de prevenção do cancro do colo do útero, tendo sido atendidas no ano passado igualmente 800 mulheres ao abrigo destas consultas.

Este ano, a aposta é assegurar as consultas de saúde infantil para acompanhar as crianças que nascem, trabalho partilhado com a USF Al-Gharb que também assegura esse atendimento suplementar.

Segundo o diretor da USF hoje inaugurada, apesar de algumas limitações, a equipa tem capacidade de resposta para atender as grávidas do concelho que necessitem.

A equipa da nova USF constituída por sete médicos, oito enfermeiros e sete administrativos.

No total, as unidades algarvias envolvem 62 médicos, 64 enfermeiros e 58 administrativos.

Lusa

Pub