Pub

Foto do Facebook de João Carlos Simões

Atravessar o rio Guadiana a pé numa ponte flutuante, na fronteira mais a sul entre Portugal e Espanha, é o principal atrativo do Festival do Contrabando, que decorre entre hoje e domingo em Alcoutim.

A vila do nordeste algarvio, situada na margem portuguesa do rio, e a localidade espanhola vizinha de Sanlucar del Guadiana vão ser palco de uma recriação histórica da época em que a divisão administrativa entre Portugal e Espanha era difícil de ultrapassar, pelo que muitos o faziam de forma clandestina.

Foto do Facebook de João Carlos Simões

Ao longo dos três dias do festival, integrado na programação do ‘365 Algarve’, os visitantes poderão contar com um conjunto de atividades e uma recriação histórica da época em que a fronteira com Espanha era dominada por contrabandistas, na qual não faltarão também os guardas-fiscais e tascas.

Do outro lado da fronteira, os visitantes poderão realizar as atividades que Sanlucar prepara em Espanha, entre elas regressar a Portugal pela tirolesa que liga as duas margens do Guadiana e que tem uma vista privilegiada sobre o rio e as localidades vizinhas.

Foto do Facebook de José Galrito

Durante o dia de hoje, decorrem igualmente as 1.ª Jornadas do Contrabando, que vão reunir os autarcas das duas localidades e estudiosos do tema, no antigo posto da Guarda-fiscal de Alcoutim onde agora funciona o edifício das Finanças.

O programa ‘365 Algarve’, que abrange os 16 concelhos algarvios, visa promover espetáculos e animações de património para dinamizar a oferta cultural em época baixa e ajudar a combater a sazonalidade do turismo algarvio.

Pub