Pub

As dormidas dos turistas portugueses caíram 4,9% face a agosto de 2012, mas a quebra foi compensada pela subida dos mercados francês( mais 37,9%), alemão (mais 21,8%) e britânico (mais 10,4%), adiantou, em comunicado, a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA)

Elidérico Viegas, presidente da associação, explicou á agência Lusa que apesar de o mercado francês ter aumentado “exponencialmente” este ano, as dormidas dos turistas desse país representam apenas 4,9% do total, sendo o mercado britânico aquele que continua a ter maior expressão no Algarve, em número de turistas

O dirigente da AHETA salientou ainda que o aumento da taxa de ocupação, superior em 2,4 por cento face a agosto do ano passado, não se traduz num aumento das receitas para as unidades hoteleiras, obrigadas a praticar preços mais baixos para garantir ocupação

De acordo com aquele responsável, as taxas de ocupação previstas para setembro e outubro deverão acompanhar o crescimento médio de 5% que se verifica desde janeiro, face aos valores registados no ano de 2012, trazendo boas perspetivas para o setor

“À exceção do mercado espanhol e português, todos os outros têm subido. Após quatro anos de estagnação total, em que não houve aumentos, este ano é de 5%, o que significa que podemos estar em período de recuperação”, frisou

Elidérico Viegas estimou que, a manter-se a tendência de crescimento que tem sido registada, o Algarve poderá, dentro de 4 a 5 anos, apresentar as mesmas taxas de ocupação que obteve no passado

Em agosto, a zona de Albufeira foi a que registou, em agosto, a taxa de ocupação média mais elevada (95,8%) do Algarve, enquanto a zona de Tavira registou a mais baixa, com 86%

As zonas de Carvoeiro e Armação de Pêra, em Silves, Monte Gordo e Vila Real de Santo António e Albufeira foram as que apresentaram as maiores subidas

Pub