Pub

Em comunicado, o presidente da Câmara de Aljezur, José Amarelinho (PS), diz que um “alto responsável” do Estado referiu que “após as eleições autárquicas, estará o Governo a preparar o encerramento das Repartições de Finanças de Alcoutim, Castro Marim, São Brás de Alportel, Monchique, Aljezur e Vila do Bispo”.

A informação proferida pelo “alto responsável” foi feita no âmbito de uma reunião de Serviços de Finanças do Algarve que ocorreu “muito recentemente”, adianta a mesma nota de imprensa

“A ser verdade, estaremos efetivamente perante uma lógica mercantilista onde as pessoas já não contam! Não permitiremos tal sorte! Não nos resignaremos e a ser verdade merecerá da nossa parte a mais veemente contestação e repúdio”, avisa o autarca socialista, alertando que solicitou hoje á Direção Geral de Finanças os “devidos e cabais esclarecimentos acerca desta matéria”

José Amarelinho, que se vai candidatar a um segundo mandato na Câmara de Aljezur, depois de ter sido eleito em 2009 com maioria absoluta, revela-se “seriamente” preocupado com o eventual encerramento do serviço local de Finanças e afirma que se está perante a mais um “forte ataque á autonomia local” e á “qualidade de vida” das pessoas

“Esta situação é ainda mais gravosa para Aljezur, atendendo a que o nosso município tem uma população muito envelhecida, com uma larga percentagem de residentes idosos com dificuldade de se deslocar, por meios próprios, aos grandes centros urbanos”, acrescenta o presidente da Câmara de Aljezur.

Em 2010, numa informação veiculada pelo Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos, os municípios tinham tido conhecimento da eventual intenção da Direção Geral de Contribuições e Impostos levar a efeito o encerramento de vários Serviços Locais de Finanças no Algarve

Pub