Pub

A reivindicação de Manuel da Luz (PS) já é antiga mas a Comissão Nacional de Proteção de Dados rejeitou a proposta inicial apresentada pela autarquia, autorizando a instalação do sistema apenas na zona de estacionamento da Praia da Rocha.

Em entrevista à Agência Lusa, o autarca de Portimão adianta que foi apresentado um novo projeto que vai no sentido de instalar câmaras na Avenida Tomás Cabreira, que coincide com a área de diversão noturna da Praia da Rocha, e na zona da chamada “Rua das Lojas”.

“Nós defendemos [a instalação de câmaras] na Avenida Tomás Cabreira, que é o eixo urbano da Praia da Rocha potencialmente problemático por causa dos bares e onde há risco de ações marginais de violência, não no estacionamento”, refere.

Manuel da Luz adianta que o Comando distrital da PSP de Faro elaborou inclusivamente um estudo sobre a matéria, que já terá sido apresentado à secretaria de Estado da tutela, aguardando-se agora por desenvolvimentos.

“Com a mudança do governo há um compasso de espera, mas quando tudo entrar na normalidade contactaremos a secretaria de Estado para retomar esse dossier”, sublinha o autarca, afirmando temer que a crise faça disparar a criminalidade.

Manuel da Luz acredita que a insegurança, em termos de ações de vandalismo e marginalidade, tenderá a aumentar por força da crise económica e social, pois embora o panorama em Portimão não seja ainda grave “já é preocupante”.

“Há um clima potencialmente cheio de graves possibilidades de aumento da insegurança”, afirma, lembrando que com a crise aumenta o desemprego e a falta de condições económicas, sobretudo dos imigrantes.

Segundo o autarca, enquanto o projeto de instalação do sistema de videovigilância não avança, deveria haver uma maior presença nas ruas “de forças de segurança fardadas”, o que transmitiria “confiança” aos turistas e residentes.

Lusa
Pub