Pub

As obras visam renovar o Largo Bernardo Lopes e a Praça da República, um dos principais pontos da cidade, onde se concentram vários serviços e também o mercado municipal, os paços do concelho e a universidade.

Situada a poucos quilómetros de Faro, a cidade de Loulé encabeça um dos maiores concelhos algarvios onde se concentram algumas das mais importantes áreas turísticas de região, como Vilamoura, Quinta do Lago ou Quarteira.

Para assinalar os 100 anos da República, a Câmara de Loulé inaugurou também uma exposição sobre a vida do Presidente da República, nascido naquele concelho, e está a preparar outra exposição sobre o almirante Mendes Cabeçada, também nascido em Loulé e que também chegou ao cargo de chefe do Estado português.

Para reanimar o comércio local e dar nova imagem ao coração da cidade, a autarquia está a apostar na renovação da zona histórica com o objetivo de a tornar mais funcional e também mais apetecível para o lazer.

"Queremos devolver a Praça da República à sua função de praça", disse à Lusa o presidente da autarquia, Seruca Emídio, acrescentando que a intervenção passa por alargar os passeios, calcetando toda a praça e colocando o pavimento num só nível.

Por ser a zona mais movimentada da cidade e onde se situa parte da área comercial, por enquanto ainda não é possível à autarquia vedar a praça ao trânsito automóvel e estacionamento, mas Seruca Emídio quer fazê-lo no futuro.

"Não existindo alternativas não nos pareceu adequado proibir o trânsito, mas essa pode ser uma hipótese no futuro, quando estiver pronta a nova circular", disse, sublinhando que a praça poderá ser fechada temporariamente para certos eventos.

Segundo o líder da autarquia, a renovação de um dos principais pontos da cidade é uma "mais valia" para Loulé, uma vez que aquele sempre foi o ponto nevrálgico da cidade, onde se faziam tertúlias e onde também se discutiam os ideais republicanos.

"Era aqui que pulsava a vida da cidade e o mercado municipal era o principal ponto de encontro dos louletanos", lembrou, acrescentando que a cidade sempre foi muito dada ao associativismo, mantendo ainda hoje ativas antigas instituições culturais e intelectuais.

O projeto prevê, para além da remodelação na via que atravessa a Praça da República até ao Largo Bernardo Lopes, pequenas intervenções na rede de abastecimento de água, elétrica, de telecomunicações e na iluminação pública.

Será também colocado novo mobiliário urbano e substituídas mais de uma dezena de tílias, árvores que estavam ao longo da praça e que foram entretanto abatidas por estarem doentes, diz a autarquia, medida já criticada por movimentos de cidadãos.

A obra, que se iniciou há poucos dias, tem um custo estimado de 730 mil euros e deverá estender-se por sete meses, diz ainda o presidente da Câmara de Loulé.

Lusa

Pub