Pub

Há cerca de um ano, o então presidente da Câmara, José Apolinário (PS), anunciava um empreendimento em Faro com parque urbano, centro comercial Dolce Vita e hotel quatro estrelas que deveria deverá criar 10 mil postos de trabalho diretos e indiretos.

Em declarações à Lusa, o autarca social democrata, Macário Correia explica que a criação de um centro comercial "Dolce Vita" está "fora de cena" e que a autarquia recebeu um novo plano de urbanização para aquele terreno, cuja área ronda os 20 hectares.

"Vamos dinamizar este espaço" é o que se pode ler em dois placards gigantes no terreno de Vale da Amoreira, contíguo à Estrada de São Brás de Alportel, uma das principais entradas de Faro e das mais movimentadas, e para onde estava previsto um parque urbano com "Dolce Vita", um hotel e zonas verdes.

A Lusa teve acesso ao novo plano de urbanização do Vale da Amoreira, um projeto assinado pelo advogado do Porto, Manuel Fernandes de Sá, onde se prevê uma "área residencial", comércio e serviços para a zona de "solos urbanizáveis", mas também se prevê um "parque verde" e "espaços verdes de utilização coletiva" para a zona de solos afetos à estrutura ecológica".

A agência Lusa tentou chegar à fala com o arquiteto do projeto para conhecer mais detalhes do projeto ou se já havia algum prazo para o início da empreitada, mas não foi possível em tempo útil.

No anterior projeto com parque urbano, centro comercial "Dolce Vita" e hotel de quatro estrelas, o ex- José Apolinário exigie que 10 por cento da área de construção fosse a custos controlados ou para realojamento".

O empreendimento, que se estimava ir criar 5.500 postos de trabalho diretos e cerca de cinco mil postos de trabalho indiretos e teria um investimento global de 500 milhões de euros, ficou denominado por "Porta da Amoreira" e era autoria do arquiteto Manuel Fernandes de Sá.

Lusa

Pub